Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2011

EXPERIÊNCIA NA CRIATIVIDADE!

SUCESSO DE REDAÇÃO.


Você tem experiência?
Num processo de seleção da Volkswagen, os candidatos deveriam
responder a seguinte pergunta:
'Você tem experiência?'
A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi
aprovado e seu texto está fazendo sucesso, e ele com certeza será
sempre lembrado por sua criatividade, sua poesia, e acima de tudo por
sua alma.

REDAÇÃO VENCEDORA:
'Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar.
Já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto.
Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
Já me escondi atrás
da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone.
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.
Já roubei beijo.
Já confundi sentimentos.
Peguei atalho·errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o·fundo da panela de arroz carreteiro.
Já me cortei fazendo a·barba apressado.
Já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as
mais difíceis de se esquecer.
Já subi escondido no·telhado pra tentar pegar estrela.
Já subi em árvore pra roubar fruta.
Já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas.
Já escrevi no muro da escola.
Já chorei sentado no chão do banheiro.
Já fugi de casa para sempre, e voltei no outro instante.
Já corri pra não deixar alguém chorando.
Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado.

Já me joguei na piscina sem vontade de voltar.
Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios.
Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro.
Já tremi de nervoso.
Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de
alguém especial.
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua.
Já gritei de felicidade.
Já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um 'para
sempre' pela metade.
Já deitei na grama de madrugada vi a Lua virar Sol.
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam
novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da
emoção, guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga? Me encosta à
parede e grita:
'Qual sua experiência?' .
Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência.
Experiência.. . Será que ser 'plantador de sorrisos' é uma boa
experiência? Não!
Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!
Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta
pergunta:
Experiência? Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?' 
 
  

Temperos substituem o sal e deixam sua comida muito mais saudável

Dicas de ervas que, além de saborosas, fazem bem para a saúde do seu corpo


O sal é um dos vilões mais temidos da atualidade, mas também é o menos combatido. Isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo com uma bela pitada de sal. E se fosse só essa pitada, tudo bem! Mas, o que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins.

Porém, manter o sal longe do prato ou pelo menos diminuir as quantidades dele nas receitas pode ser mais fácil do que você imagina. A substituição do mineral por outros temperos naturais dá novo gostinho às preparações e ainda por cima promove uma onda de boa saúde. "Os temperos naturais ou condimentos melhoram o sabor, aroma e aparência dos alimentos preparados", explica a nutricionista Maíra Malta, da Unesp. Por isso, confira abaixo alguns temperos que te ajudam a se manter longe do sal.  

  • cebola e alho - foto: getty images
  • sálvia - foto: getty images
  • manjericão - foto: getty images
  • alecrim - foto: getty images
  • salsinha - foto: getty images
  • pimenta - foto: getty images
  • coentro - foto: getty images
  • estragão - foto: getty images
  • hortelã - foto: getty images
  • folhas de louro - foto: getty images
  • oregano - foto: getty images
  • tomilho - foto: getty images
  • açafrão - foto: getty images
  • gengibre - foto: getty images




Alho e Cebola: Os acompanhamentos básicos de quase todos os nossos pratos fazem muito bem a nossa saúde. "O alho, por exemplo, contribui para a diminuição da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. Já a cebola inibe a ação de algumas bactérias e fungos prejudiciais ao nosso organismo e diminui os riscos de trombose e aterosclerose", diz a especialista. A duplinha também ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, estômago, próstata e fígado.

Cientistas elaboram mapa da gravidade da Terra

A Agência Espacial Europeia (ESA) divulgou, nesta quinta-feira (31), o mapa mais preciso já feito até hoje da gravidade da Terra. As informações foram coletadas durante dois anos pelo satélite Goce. O modelo, chamado de geoide, mostra minunciosamente que a Terra não é completamente redonda.

Veja como é a superfície da Terra considerando a gravidade sem a ação de marés e de correntes oceânicas:


O satélite Goce foi lançado em março de 2009 e já recolheu mais de 12 meses de dados sobre a gravidade. De acordo com a Esa, essas informações são essenciais para medir a movimentação dos oceanos, a mudança do nível do mar e a dinâmica do gelo – e para entender como são afetados pelas mudanças climáticas.

A Esa também explica que os dados podem ajudar a entender mais profundamente os processos que causam terremotos, como o evento que assolou o Japão no dia 11 de março. Isso porque os terremotos criam “rastros” na gravidade, o que poderia ser usado para entender o processo que conduz catástrofes naturais e, assim, prevê-los.

A ideia dos pesquisadores da Esa é continuar medindo a gravidade até o final de 2012. O satélite Goce, responsável pelos dados, pesa uma tonelada e orbita a baixa altitude. Ele usa um equipamente específico para medir a gravidade.

Político derrotado na Bahia corta o pulso com Lula em Coimbra

    Stanley Burburinho oferece ao amigo navegante a seguinte informação, obtida numa unidade de pronto socorro: um homem alto, de uns 60 anos presumivelmente, bem vestido (mas com o hábito de tirar os sapatos no avião), de voz alta e uma certa arrogância cortou os pulsos de forma severa:

    Aleluia do DEM envia carta ao reitor de Coimbra contestando título de Doutor a Lula


    “CARTA ABERTA AO PROF.JOÃO GABRIEL SILVA,


    MAGNÍFICO REITOR DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA


    José Carlos Aleluia, professor universitário, Membro da Comissão Executiva do Democratas e Presidente da Fundação Liberdade e Cidadania


    Na condição de professor universitário venho perante Vossa Excelência manifestar a minha perplexidade — e porque não dizê-lo–, indignação, diante da concessão do título de doutor honoris causa, pela instituição que ora Vossa Excelência representa, ao ex-Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.


    Tomando como referência o significado que tem, para nós brasileiros, a Universidade de Coimbra, entendo que a iniciativa destoa aberta e completamente de toda a sua tradição. Aprendemos que as personalidades que lideraram o processo da Independência e que assumiram os destinos do novo país –a começar do Patriarca, José Bonifácio– formaram seu espírito na Universidade de Coimbra. Aplaudimos com entusiasmo a concessão daquele título a ilustres representantes da contemporânea cultura brasileira, a exemplo do saudoso Miguel Reale. Em eventuais excursões a Portugal, todo membro da comunidade acadêmica brasileira sente-se no dever de conhecer a instituição que consideramos parte integrante de nossa história.


    A concessão do mencionado título contraria frontalmente toda a idéia que nós fizemos da Universidade de Coimbra pelo fato, sobejamente conhecido, de que o ex-Presidente sempre se vangloriou de não haver freqüentado qualquer curso. Insistentemente, perante a nossa juventude, buscou inculcar a noção de que o sucesso pessoal independe de qualquer esforço no sentido de aprimorar o conhecimento. E, sobretudo, por uma administração desastrosa em matéria educacional.


    http://www.josecarlosaleluia.com.br/website/?a=11&cod=38212


    Em 2002, havia 43 universidade.
    Hoje são 57 universidades federais.
    NavalhaO governo Lula foi o que mais fez pela educação superior e bateu um recorde do governo Kubitschek, que criou dez universidades federais.
    O Farol de Alexandria não pôs no lugar um único tijolo numa única universidade.
    Seu Ministro, Paulo Renato, o Rei da Privatização, especializou-se em fortalecer as universidades privadas.
    O Di Gênio é fã do Paulo Renato.
    Sobre as escolas técnicas.
    Com o Nunca Dantes, se investiu mais em educação profissional e básica também: superou o governo Itamar, que construiu 27 unidades de escolas técnicas.
    No governo Lula, foram 214 novas unidades, dez vezes mais que o recorde.
    Sobre o estrago que o Nunca Dantes fez na bancada da oposição, vale a pena ler O Glob.
    Ai se verá que Lula derrotou o indigitado político baiano:
    “As eleições deste ano varreram dos corredores do Senado nomes tradicionais da política brasileira. 
    Velhos caciques, líderes de votos em pleitos passados, 
    ficarão sem assento na Casa a partir de 2011. Entre eles estão os tucanos Tasso Jereissati (CE) e
    Arthur Virgílio (AM), além de Marco Maciel (DEM-PE).
    A trajetória política de Maciel se confunde com a história do Congresso. Eleito deputado federal 
    pela primeira vez em 1966, pela Arena, o parlamentar era dos mais longevos na Casa. Afastou-se 
    para ser governador de Pernambuco e vice-presidente da República durante os dois mandatos
    do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Este ano, sem fôlego, e aparentemente com pouca 
    estrutura para a campanha, ficou para trás.
    Um dos opositores mais veementes do governo Lula, desde o seu primeiro dia, o líder do PSDB, 
    senador Arthur Virgílio, obteve seu primeiro mandato em 1978. Só não esteve no Congresso quando 
    foi prefeito de Manaus. No Twitter, um dia antes da eleição que perdeu por pouco – ficou em terceiro, 
    logo atrás de Vanessa Grazziotin – , nutria esperanças: ‘Afirmo: a surpresa será grande. Enfatizo: 
    vigilância precisa ser indormida. Agradeço, comovido, pelo carinho e empenho.’
    No Ceará, a derrota de Tasso pôs fim a uma sólida trajetória de quatro campanhas vitoriosas,
    a primeira em 1986, quando ganhou o governo do Ceará, marcando seu ingresso na política partidária. 
    Apesar de ter mantido a liderança na atual disputa eleitoral, até às vésperas do pleito, o tucano 
    veio registrando declínio ao longo de três meses, até ser ultrapassado pelos ex-ministros
    Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (CE). Mas foi nas últimas duas semanas, após
    apelos do presidente Lula em favor dos seus adversários, veiculados no horário eleitoral, 
    que a queda se acentuou, enquanto Eunício e Pimentel registraram crescimentos de dois dígitos cada.
    Deputado federal eleito por cinco mandatos consecutivos, José Carlos Aleluia (DEM) não foi capaz
    de obter uma vaga no Senado este ano. Era vice-líder do DEM e um dos mais ferrenhos combatentes
    da oposição no plenário, em especial quando envolvia assuntos econômicos e orçamentários.
    Figura polêmica, o piauiense Mão Santa também não conseguiu se eleger no Piauí. Também ficou 
    sem um novo mandato o senador Heráclito Fortes (DEM). Com dois mandatos consecutivos 
    (1983/88 e 1995/2003), só não esteve no Parlamento no período em que governou Teresina. “
    Ficaram de fora ainda por conta desse rolo compressor o ex-Prefeito do Rio de Janeiro
    Cesar Maia (Dem-RJ), a capixaba Rita Camata (PSDB-ES), a ex-presidenciável 
    Heloísa Helena (PSOL-AL), Efraim Morais (Dem-PB) e Gustavo Fruet (PSDB-PR),
    ( um dos heróis da batalha pelo impeachment de Lula, no mensalão – PHA).


    Em tempo: o indigitado político baiano, vítima do profundo corte nos pulsos, recebeu
    importante apoio do Padim Pade Cerra na campanha.

    Em tempo2: o indigitado político pertenceu ao extinto movimento “carlista”.

    Dele e do seu Ministro, Paulo Renato


    Paulo Henrique Amorim

     Inédito: série diz que Brasil só avança com Reformas Democráticas

    Acompanhe a série inédita "Reformas Democráticas". Produzida em 20 dias pela equipe do Portal Vermelho, a série traz seis episódios que revelam: o Brasil só avança com mudanças estruturais na área urbana, da educação, da mídia, tributária, agrária e política. No 1º episódio, “Reforma Urbana”, você vai saber porque viver nas cidades é cada vez mais caro e como o planejamento urbano pode melhorar nossas vidas.

    Reforma da Educação: um caminho para transformar o Brasil

    No segundo vídeo da série Reformas Democráticas você vai saber porque nossas escolas se parecem tanto com presídios, as propostas de especialistas sobre como fazer uma reforma da educação e a importância estratégica desta área para mudanças estruturais no Brasil. A série produzida pela equipe do Vermelho tem seis vídeos temáticos, de cerca de seis minutos cada, com os melhores momentos de sete horas de gravação.

     

    Para um novo Brasil é preciso fazer a reforma da mídia

    No terceiro vídeo da série Reformas Democráticas, você vai saber porque os meios de comunicação estão nas mãos de poucas famílias, o papel da internet na democratização da comunicação e o que propõem aqueles que defendem uma mídia livre. Produzida pela equipe do Vermelho, a série conta com seis vídeos temáticos sobre as reformas estruturais necessárias para que o Brasil continue se desenvolvendo e avance nas mudanças.

     

    quarta-feira, 30 de março de 2011

    O adeus ao companheiro Zé Alencar

    Lula e Alencar, quando assumiram o governo.

    A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula darão uma declaração conjunta sobre a morte do ex-vice-presidente José Alencar, em Coimbra, Portugal, onde os dois estão em viagem.

    Alencar morreu às 14h41 de hoje. Ele estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e lutava contra um câncer.


    "Vocês não podem ter a noção da importância dele para o presidente Lula. Nossa gratidão a ele é eterna."


    O Secretário-Geral da Presidência, ministro Gilberto Carvalho, lamentou nesta terça-feira (29) a morte do ex-vice-presidente José Alencar.


    - O Alencar está no nosso coração e no coração de todos os brasileiros. À família, o nosso abraço mais fraterno, que ele continue a nos acompanhar e acompanhar o nosso povo.


    Carvalho concedia uma entrevista sobre condições de trabalho nas obras do PAC quando foi informado por jornalistas sobre a morte de Alencar. Emocionado, o secretário-geral – que foi chefe de gabinete do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante oito anos, tendo contato direto com Alencar –, destacou a importância do ex-vice.


    - Vocês não podem ter a noção da importância dele para o presidente Lula. Nossa gratidão a ele é eterna.


    Carvalho foi questionado se Lula e a presidente Dilma Rousseff, que estão em viagem a Portugal, retornariam ao Brasil, mas emocionado, não teve condições de responder.
    Valeu, Zé Alencar!


    "Peço a Deus que não me dê nenhum tempo de vida a mais, a não ser que eu possa me orgulhar dele". (José Alencar, 1931 - 2011)

    "Todo mundo era bom depois de morrer. Alencar era bom em vida", chorou Lula

    Foi em prantos que a presidenta Dilma e Lula falaram da morte de José Alencar, pouco depois de serem informados pelo médico do ex-vice-presidente.

    "Todo mundo era bom depois de morrer. Alencar era bom em vida", chorou Lula.


    A visita de ambos a Portugal foi encurtada. Lula dedicará a Alencar o título de doutor honoris causa na Universidade de Coimbra, na manhã de quarta-feira, e ambos voltam ao Brasil em seguida. A presidenta cancelou a agenda oficial em Portugal que deveria ocorrer na quarta-feira à tarde.


    A presidenta informou que a família de Alencar aceitou que ele seja velado no Palácio do Planalto. O governo decretará luto oficial de sete dias. (com informações do Valor)

    Lula e Zé Alencar, uma amizade verdadeira

     

     






    Lula e Zé Alencar, uma amizade verdadeira

     

     

    No final deste vídeo, após as declarações de Lula na entrevista coletiva, um trecho inédito, com uma das últimas visitas do presidente Lula ao seu amigo e vice-presidente José Alencar no hospital. Lula dizia que ambos subiram juntos a rampa do Planalto e desceriam juntos, após passar a faixa presidencial para Dilma.

    Lula diz:

    - Não há hipótese de haver uma amizade mais forte [do que a deles]...

    Alencar foi vice durante 8 anos e, em 2005, quando houve o escândalo do mensalão, nunca conspirou para desestabilizar Lula e herdar a presidência. Pelo contrário, foi leal e deu total apoio ao presidente Lula, e foi solidário com aqueles que estavam sendo acusados injustamente pela oposição e pela imprensa.

    Nos 8 anos de mandato, José Alencar assumiu a presidência por 398 dias, durante as viagens internacionais do presidente Lula. Com isso, Alencar foi presidente do Brasil por mais de um ano, no total. 



    Na TV,deputado diz a Preta Gil que namoro com negra seria ‘promiscuidade’

    Em entrevista na noite da segunda-feira, 28, ao programa CQC, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) deu declarações que tiveram grande repercussão nas mídias sociais e devem gerar reações de diversas entidades e militantes, como os movimentos gay e negro.
    Entre outras coisas, o parlamentar disse que, se pegasse filho fumando maconha, o torturava. Quando indagado o que faria se tivesse um filho gay, respondeu: “Isso nem passa pela minha cabeça, eu dei uma boa educação, fui pai presente, não corro este risco.”

    Questionado sobre cotas raciais, disse: “Eu não entraria em um avião pilotado por um cotista nem aceitaria ser operado por um médico cotista.”

    Por fim, a cantora Preta Gil, filha do ex-ministro e músico Gilberto Gil, perguntou o que ele faria se o filho se apaixonasse por uma negra. “Ô Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco. Meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente como, lamentavelmente, é o teu”, respondeu.Estado

    Racismo: Deputados protocolam representação contra Bolsonaro na Câmara

    Cerca de vinte parlamentares, de quatro partidos - PT, PCdoB, PSol e PDT - assinaram uma representação contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), acusado de manifestar declaração racista em entrevista ao programa CQC exibido na noite de segunda-feira (28). Coordenada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, a representação foi protocolada hoje na Presidência e na Corregedoria da Casa.


    O documento também será enviado à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, órgão do Ministério Público Federal especializado nos temas de direitos humanos, e ao Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, vinculado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.
    O deputado Luiz Alberto (PT-BA), um dos signatários da ação, entende que Bolsonaro cometeu crime de racismo com suas declarações. "Ele não emitiu apenas uma opinião, algo que é garantido pela imunidade parlamentar, mas cometeu um crime previsto em lei", afirmou o parlamentar baiano.
    Outro signatário da representação, o deputado Edson Santos (PT-RJ), ex-ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, considerou deploráveis as palavras de Bolsonaro. "A declaração é indigna de um representante da sociedade e a tentativa posterior de remediar a situação é um ato de covardia", criticou Santos, fazendo referência ao discurso proferido pelo deputado do PP na tarde de terça, em que negou a acusação de racismo e falou em "mal entendido" na sua justificativa.
    Jair Bolsonaro já foi alvo de outras representações parlamentares, sempre motivadas por suas declarações sobre temas de direitos humanos ou questões relacionadas à ditadura militar.
    Pela bancada do PT, também assinaram a representação os deputados: Domingos Dutra (MA), Emiliano José (BA), Erika Kokay (DF), Fernando Ferro (PE), Luiz Couto (PB) e Marina Sant'ana (GO).

    WikiLeaks: "Kassab é 'apêndice' do PSDB em SP", diz serrista

    Não mais que um "apêndice" em uma administração controlada essencialmente pelo PSDB. É assim que, segundo telegramas vazados pelo site WikiLeaks, o atual secretário de Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo, se referiu ao prefeito da capital, Gilberto Kassab (sem partido), em conversa com o cônsul-geral dos Estados Unidos, Thomas White, em 22 de outubro de 2007.

    Descrito como um "autopromotor, satisfeito e confortável com a autoridade lhe é atribuída pelo prefeito e pelo governador e desfruta claramente do seu exercício", Matarazzo então ocupava a secretaria de coordenação das subprefeituras. É identificado como "amigo e colega" do então governador, José Serra (PSDB). "Matarazzo age como chefe de fato de uma cidade de 11 milhões de habitantes e um orçamento de mais de US$ 10 bilhões", descreve White em um dos telegramas. Matarazzo teria comentado com White que 80% dos cargos da prefeitura eram controlados pelo PSDB.

    Matarazzo pretendia, até o fim daquele ano, acabar com o sistema de licenças para vendedores ambulantes e acreditava que a cidade não precisava dos camelôs: "É uma máfia!" Segundo o telegrama, Matarazzo classificou os camelôs em dois tipos: receptadores empregados pelo PCC e contrabandistas ligados ao chinês Law Kim Chong.

    No plano nacional, a avaliação de Matarazzo era de que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva trabalharia para se manter no poder, fosse emplacando uma emenda constitucional ou propondo um plebiscito. No primeiro caso, poderia até contar com o apoio do PSDB, desde que o mandato presidencial fosse esticado para cinco anos e não houvesse mais reeleição. Caso não desse certo, Matarazzo acreditava que Lula apoiaria à sua sucessão Ciro Gomes (PSB), a quem se referiu como "patologicamente insano, doente". Contactada, a assessoria do secretário informou que ele estava em um evento e não poderia atender à reportagem.

    Não é a primeira vez que Matarazzo aparece na correspondência da diplomacia americana vazada pelo WikiLeaks. No começo deste mês, telegramas davam conta de um encontro com o cônsul Christopher McMullen, em 2006. Matarazzo teria então afirmado que Alckmin seria membro da Opus Dei, prelazia conservadora da Igreja Católica. O secretário confirmou o encontro, mas negou a afirmação.

    Fonte: Valor Econômico

    Em Portugal, Lula dedica título de doutor honoris causa a Alencar

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira (30), durante sua chegada à Universidade de Coimbra – uma das mais antigas e importantes da Europa –, que seu ex-vice, José Alencar, ficaria "muito feliz" por ele se estivesse vivo. Lula recebeu o título de doutor honoris causa e afirmou sentir "um misto de alegria e tristeza", pelo reconhecimento da Universidade de Coimbra e pela morte de José Alencar, na tarde de terça-feira.

    Emocionado, Lula dedicou a conquista ao ex-vice-presidente. "Nada disso seria possível sem a colaboração generosa e leal daquele que foi o meu parceiro de todas as horas, um dos homens mais íntegros que já conheci, o inesquecível estadista que perdemos ontem (29), para a consternação de toda a sociedade brasileira: o meu vice-presidente, José de Alencar Gomes da Silva", declarou.

    Lula lembrou que o ex-vice foi homenageado junto com ele em janeiro, quando os dois receberam um título de honoris causa da Universidade de Viçosa, em Minas Gerais. O ex-presidente chegou à universidade por volta das 9h40 e foi recebido por um grupo de estudantes brasileiros da instituição, que o cercaram em busca de fotos e autógrafos.

    Nesta terça-feira, quando soube da morte de Alencar, Lula chorou e disse que dedicava ao político o título honoris causa da Universidade de Coimbra. Lula iniciou o pronunciamento dizendo que não tinha muito que falar e classificou o momento como de "muita dor e muito sofrimento". O ex-presidente relembrou seu mandato junto a Alencar e Dilma e afirmou que a relação dos dois não era de vice e presidente e sim de "irmãos e companheiros".

    Ele precisou interromper seu discurso em várias ocasiões. O ex-presidente contou que conversou com Alencar antes de embarcar para Portugal. "Ele disse que estava bem, que estava em casa e que ele sabia que, do ponto de vista clínico, ele não tinha mais muita expectativa, mas como era um homem de fé, tinha esperança que a fé em Deus iria ajudá-lo”.

    O ex-presidente ainda falou da importância de Alencar em sua campanha. "Todo mundo sabe que eu perdi muitas eleições no Brasil, todo mundo sabe que eu tinha 30%, 34%, 32%, 33% e eu precisava encontrar restante, e o restante eu encontrei no José Alencar".

    Lula ressaltou ainda que o ex-vice-presidente era "um homem de dimensão extraordinária" que tinha um otimismo que chegava a dar inveja. "Poucos seres humanos têm a alma de José Alencar", afirmou. "É muito fácil a gente falar das pessoas depois que morrem porque todo mundo fica bom depois que morre, mas o José Alencar era bom em vida", disse Lula.

    Honras de chefe de Estado

    O avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que transporta o corpo do ex-vice-presidente José Alencar, decolou do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, por volta das 7h45. A previsão de chegada a Brasília é por volta das 10 horas – um atraso de 45 minutos do previsto inicialmente.

    Em Brasília, Alencar será homenageado com honras de chefe de Estado. Ainda no local, ele será homenageado com honras militares. O corpo será recebido pelo presidente da República em exercício, Michel Temer, e os presidentes José Sarney (Senado), Marco Maia (Câmara dos Deputados) e Cezar Peluso (Supremo Tribunal Federal).

    Em seguida, haverá um cortejo fúnebre pelo eixo central de Brasília, a principal avenida da capital federal. Em carro aberto, o corpo de Alencar será levado até o Palácio do Planalto. Carregado pelos Dragões da Independência, o caixão subirá a rampa do prédio, repetindo o caminho que Alencar fez ao lado de Lula em 1º de janeiro de 2003.

    Para as 10h30, está previsto o início do velório, que permanecerá aberto para visitação pública durante todo dia. A presidente Dilma Rousseff e Lula devem chegar no começo da noite desta quarta-feira.

    O Palácio do Planalto informou que a visitação pública no velório será encerrada às 23 horas. O corpo de Alencar deve deixar Brasília na quinta (31) com destino a Minas Gerais. Apesar de ter nascido em Muriaé (interior do estado), Alencar será enterrado em Belo Horizonte.


    Com informações das agências

    terça-feira, 29 de março de 2011

    Morre o ex-vice-presidente José Alencar

    Após longa luta contra o câncer, o ex-vice-presidente José Alencar morreu nesta terça-feira (29), aos 79 anos, em São Paulo. Ele estava internado na UTI do Hospital Sírio-Libanês, desde a tarde de segunda, (28), onde foram constatadas uma nova obstrução do intestino. Alencar, que há mais de dez anos sofria de câncer, já tinha sido submetido a 17 cirurgias.

    Leia mais:
    Dilma e Lula antecipam volta após morte de Alencar
    O calvário de José Alencar na luta contra o câncer
    Alencar foi recordista no exercício da vice-presidência

    De balconista a empresário
    José Alencar Gomes da Silva nasceu no dia 17 de outubro de 1931, no vilarejo de Itamuri, município de Muriaé, Zona da Mata Mineira. Saiu de casa aos 14 anos para trabalhar como balconista em uma loja de armarinhos na cidade. Estudou até o primeiro ano do então ginásio. Aos 18, se emancipou para iniciar os negócios que o tornariam um dos maiores empresários do país.

    Veja galeria de fotos de José Alencar

    Em Caratinga, 173 km de distância do seu município natal, o empreendedor inaugurou a loja “A Queimadeira”, que vendia tecidos, calçados, chapéus, guarda-chuvas e sombrinhas. Aos poucos, cresceu financeiramente. Trabalhou como caixeiro-viajante, foi atacadista de cereais, dono de fábrica de macarrão, atacadista de tecidos e industrial do ramo de confecções.

    Em 1967, em parceria com o empresário e deputado Luiz de Paula Ferreira, fundou a Companhia de Tecidos Norte de Minas – Coteminas. Hoje a empresa é considerada um dos maiores grupos industriais têxteis do Brasil.

    Paralelamente ao trabalho, Alencar participou de associações patronais como presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

    A trajetória de José Alencar na política começou tarde. Foi só em 1994, aos 63 anos, que se candidatou para o governador de Minas Gerais, mas perdeu as eleições para Hélio Garcia (PMDB).

    Porém, graças a essa exposição, obteve quase três milhões de votos e elegeu-se senador por MG pelo PMDB, sendo que depois trocou o partido pelo PL.

    Vice-presidência
    Lula se aproximou de José Alencar em uma festa de 50 anos de atividades empresariais do mineiro, em Belo Horizonte. Alencar convidou mais de mil pessoas para o evento, incluindo representantes de partidos. José Dirceu, então presidente do PT, insistiu para que Lula o acompanhasse. Após ouvir o discurso coloquial do empresário, ao sair da festa o ex-presidente da República disse ao amigo Dirceu que tinha encontrado seu vice-presidente. Porém, uma desavença entre Dirceu e Valdemar da Costa Neto, presidente do PL, sobre dinheiro arrecadado e distribuído quase desfez a parceria. Porém, Lula conseguiu contornar o problema. E, assim, em 2002, Alencar foi eleito vice-presidente da República e, em 2006, reeleito cumprindo oito anos de mandato.

    Luta contra o câncer
    Alencar lutava contra o câncer desde 1997. Na época, ele descobriu a doença no rim, mas pediu para o médico checar se havia se espalhado para o estômago. O político sentia dores na região. Depois da teimosia, realmente confirmou-se que o câncer também estava no estômago.

    Essa foi a primeira de 17 cirurgias. O quadro de saúde do ex-vice se agravou em 2010. Durante esse ano, Alencar foi internado com edema de pulmão, teve crise de hipertensão, passou por cateterismo e sofreu infarto. No dia 22 de dezembro foi internado às pressas devido a uma hemorragia digestiva. Ele queria participar da posse da presidente Dilma Rousseff, mas devido ao seu estado de saúde,
    os médicos não permitiram.

    José Alencar Gomes da Silva era casado com a Mariza Campos Gomes da Silva e teve três filhos: Josué Christiano, Maria da Graça e Patrícia.

    segunda-feira, 28 de março de 2011

    QUE BOA NOTÍCIA!

    Dilma diz que recebeu país em condições de dar 'salto maior ainda'

    Dilma cumprimenta mulher grávida durante cerimônia de programa voltado a gestantes (Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência)Presidente afirmou que herdou de Lula país preparado para crescer mais.
    Ela lançou programa Rede Cegonha e defendeu atendimento a gestantes.

    Flávia Cristini Do G1, em Belo Horizonte
    Dilma cumprimenta mulher grávida durante
    cerimônia de programa voltado a gestantes
    (Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência
    A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (28), durante lançamento do programa Rede Cegonha, em Belo Horizonte, que fará o Brasil dar um “salto maior ainda” do que deu durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma explicou que recebeu de Lula um país preparado para crescer mais.
    "Tenho certeza de que nosso país está num momento muito especial. Eu recebi um país diferente [...] Recebi um país em condições para dar um salto maior ainda do que o presidente conseguiu dar, ele me legou essa herança e vou honrar essa herança", afirmou. 
    Em Minas Gerais, Dilma detalhou o programa Rede Cegonha, do governo federal, que prevê medidas de atenção especial a mulheres gestantes, desde a confirmação da gravidez, passando pelo pré-natal e o parto, até os dois primeiros anos de vida do bebê. Serão investidos R$ 9,4 milhões do Ministério da Saúde até 2014.
    A presidente afirmou que investir no atendimento a gestantes e recém nascidos é essencial para garantir o fim das desigualdades sociais e para fazer do Brasil um país desenvolvido. "Temos que olhar para essa geração de bebês que estão nascendo. Eles representam a possibilidade do Brasil ser um dos países mais ricos do mundo. Não tem um lugar onde a desigualdade é mais perversa do que na área da saúde."
    Ao destacar que o parto é um momento de "celebração", Dilma defendeu ambientes de internação e atendimento separados dos destinados às pessoas doentes. "Gravidez não é doença", disse.
    Dilma afirmou ainda que cumprirá o compromisso assumido durante a campanha eleitoral de transformar o atendimento público de saúde em um sistema de qualidade. “Temos que transformar o SUS num ótimo e grande sistema de saúde. A esse compromisso eu não renunciarei.”
    A presidente também ressaltou a importância de garantir educação de qualidade na primeira infância, através das creches públicas. "Uma creche que é um depósito de crianças é uma distorção que não podemos permitir. No atendimento na creche pode ser enfrentada a raiz da desigualdade. [...] Queremos que brasileirinhos e brasileirinhas vindos do povo sejam os cientistas de amanhã"
    Rede Cegonha
    Os mais de R$ 9 milhões anunciados pelo governo serão aplicados na construção de uma rede de cuidados primários à mulher e à criança que será coordenada pelo Ministério da Saúde e executada pelos estados e municípios. Entre as medidas previstas no programa está a introdução nos postos e hospitais públicos do  teste rápido de gravidez.
    Confirmado o resultado positivo, será garantido um mínimo de seis consultas durante o pré-natal, além de exames clínicos e laboratoriais. As grávidas terão um posto de saúde como referência, e saberão com antecedência farão o parto. Elas também receberão auxílio para se deslocarem até os postos de saúde para realizar o pré-natal e o parto, com vale-transporte e vale-táxi.
     

    sábado, 26 de março de 2011

    Dezessete capitais participarão da Hora do Planeta

    Criada pela ONG WWF, a Hora do Planeta é uma ação simbólica, promovida em 134 países e 3,8 mil cidades. Ideia é deixar as luzes apagadas durante sessenta minutos no sábado, 26, das 20h30 às 21h30

    Por *Época NEGÓCIOS Online
    Wikimedia Commons
    Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, é um dos monumentos que apagará suas luzes em nome da sustentabilidade
    Após a confirmação das prefeituras de Salvador e Florianópolis, o Brasil terá ao todo dezessete as capitais participando da Hora do Planeta, inclusive São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Curitiba e João Pessoa, engajadas na ação que busca chamar a atenção para questões ambientais.
    + Britânico escapa de enchentes na Austrália, do terremoto na Nova Zelândia e do tsunami no Japão

    Criada pela ONG WWF, a Hora do Planeta é uma ação simbólica, promovida em 134 países e 3.800 cidades, na qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos no sábado, 26, das 20h30 às 21h30. A estimativa é de que mais de 1 bilhão de pessoas participem do evento, que ocorre desde 2007. Em homenagem às vítimas da tragédia no Japão e das enchentes do começo do ano no Brasil, neste ano o primeiro minuto, em silêncio, será em lembrança aos afetados pelas intempéries e tremores.
    + Os milionários são felizes?
    De acordo com o coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, Carlos Rittl, a Hora do Planeta é "um ato simples que busca chamar a atenção das pessoas para o cuidado que temos que ter com o planeta. A ação simbólica é um chamado para a reflexão, para o questionamento de como estamos contribuindo no dia a dia para um mundo melhor e sustentável". Na avaliação dele, no Brasil o evento também chama a atenção para questões específicas internas, como o desperdício da água e a preservação das florestas.
    + Qual o seu grau de influência no Twitter? Descubra
    Segundo a ONG, no Brasil 98 cidades registraram formalmente a participação, indicando monumentos que terão suas luzes desligadas. Na capital paulista, serão desligadas as luzes do Estádio do Pacaembu, da Biblioteca Mário de Andrade e dos Arcos do Anhangabaú, além da Ponte Estaiada, o Obelisco do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras, o Teatro Municipal e o Mercado Municipal.
    Público
    No Rio de Janeiro, cidade âncora do movimento no Brasil, serão apagados os ícones Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Igreja da Penha, Castelinho da Fiocruz, Monumento aos Pracinhas e os Arcos da Lapa. O País terá pela primeira vez um evento aberto ao público que marca o início da Hora do Planeta a partir das 19 horas, nos Arcos da Lapa, com presença prevista da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.
    Após o minuto de silêncio, o público assistirá à apresentação das baterias das escolas de samba Mangueira, Portela, Grande Rio e União da Ilha. De acordo com Rittl, outras capitais poderão ter eventos parecidos nas próximas edições. "A junção entre consciência ambiental e cultura ajuda a chamar mais a atenção para a nossa causa", falou.
    Na capital baiana, de acordo com a prefeitura, ficarão apagados o palácio Thomé de Souza, o Elevador Lacerda, as estátuas dos Orixás do Dique do Tororó, a Praça Castro Alves (estátua do poeta), a estátua do Cristo, o Farol da Barra, além dos monumentos Clériston Andrade, Estação da Leste e Abaeté.
    Em comunicado, o prefeito soteropolitano, João Henrique, disse que "Salvador não poderia ficar de fora desse movimento que chama a atenção para promoção da sustentabilidade ambiental, uma vez que este é um fio condutor de nossas políticas e estratégias operacionais", citando ações da municipalidade como a troca pela administração em locais públicos de lâmpadas que consomem menos energia.
    O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) também aderiu ao movimento, sendo o primeiro órgão do gênero no País a fazer parte da ação. O TJ-BA irá apagar as luzes dos prédios e fóruns judiciais. O objetivo do órgão é de que magistrados e servidores, que chegam a 11 mil, multipliquem a ideia com suas famílias, amigos e comunidade. Em Brasília, serão apagadas as luzes do Palácio do Buriti e Anexo, Memorial JK, Teatro Nacional, Catedral, Museu do Índio, Complexo Cultural da República e Ponte JK.
    Mobilização
    Conforme comunicado da ONG, no Brasil, "ao todo, 1.514 empresas e organizações se cadastraram no site www.horadoplaneta.org.br , que traz histórias e dicas sobre como participar, além de materiais promocionais como banners, filmes, cartazes, imagens, papéis de parede, protetores de tela e twibbons para twitter e facebook".
    Este ano, 13 novos países aderiram à ação. São eles: Jamaica, Uganda, Suazilândia, Irã, Tajiquistão, Chade, Azerbaijão, Gibraltar, Palestina, Suriname, Usbequistão, Trinidad e Tobago e Lesoto. Fazem parte também metrópoles como Nova Délhi, Mumbai, Buenos Aires, Moscou, Teerã, Istambul e Londres.
    Da Acrópole de Atenas ao nova-iorquino Empire State, passando pela Opera House de Sydney, lugares emblemáticos de todo o mundo também apagarão suas luzes. Na Europa, o Portão de Brandemburgo, em Berlim, o relógio londrino Big Ben e a Torre de Pisa, na Itália, ficarão às escuras.
    A organização receberá até as 16 horas de amanhã (hora de Brasília) os termos de adesão, para oficializar a participação de municípios. Também assinaram o termo de adesão as capitais Aracaju (SE), Campo Grande (MS), Goiânia (GO), Natal (RN), Palmas (TO), Recife (PE), Rio Branco (AC), Teresina (PI) e Vitória (ES).
    * Com informações de Agência Estado e da EFE.

    sexta-feira, 25 de março de 2011

    Vale: campanha histérica da mídia e da oposição contra Mantega

    Engana-se quem acha que o neoliberalismo acabou ou foi mortalmente atingido pela crise mundial do capitalismo. A mera possibilidade de intervenção do governo no comando da Vale despertou reações histéricas, iradas e hipócritas na mídia capitalista e na oposição demo-tucana.

    Afirma-se que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, está em movimento para forçar uma mudança na direção da empresa e a substituição de seu atual presidente, Roger Agnelli. Neste sentido, ele teria procurado o apoio do Bradesco, que é um dos principais acionistas da mineradora.

    Propriedade capitalista
    Com base em rumores neste sentido, a direita neoliberal, como sempre em estreita aliança com a mídia hegemônica, promove um ruidoso escândalo levantando a sagrada bandeira da propriedade privada capitalista, que (a julgar pelo que dizem) estaria prestes a ser violentada pelo governo Dilma.

    Veja, Folha de São Paulo, Globo e Estadão falam uma só voz e estão em campanha aberta contra o ministro da Fazenda. O tema repercutiu no Congresso Nacional por iniciativa do senador mineiro Aécio Neves, que se arvora chefe supremo das forças neoliberais, e outros parlamentares do DEM e do PSDB.

    Campanha reacionária
    “Quais as razões para intervir numa empresa de capital privado?”, indaga o senador tucano. O presidente do precário e dividido DEM, José Agripino Maia, se disse apavorado com “a ideia de aparelhamento do Estado”, enquanto na Câmara o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) apresentou um requerimento convocando Mantega a prestar esclarecimentos sobre o assunto.

    “Intervenção descabida” é o título de um breve editorial publicado pelo jornal O Globo, que caracteriza de “desastrada” a suposta “pressão do ministro Guido Mantega sobre o Bradesco para retirar Roger Agnelli da Vale” e desce a lenha no PT. A deplorável Miriam Leitão diz que a “conversa entre Mantega e Bradesco é um sinal indecoroso de retrocesso da economia brasileiro”.

    Privatização indecorosa
    Indecorosa, a bem da verdade, foi a entrega da Vale na bacia das almas por um valor simbólico de R$ 3 bilhões, configurando um prejuízo gigantesco para os cofres públicos, fato que por si justifica a reestatização da empresa defendida pelos movimentos sociais. Só durante o ano passado a mineradora obteve um lucro de R$ 30 bilhões, ou seja, dez vezes o valor pago na escandalosa privatização patrocinada por FHC.

    De todo modo, não é a revisão da privatização que está em questão, mas o direito inegável do Estado influenciar nos destinos da empresa. A razão é simples e objetiva: o governo controla mais de 60% do capital da empresa, através do BNDES e dos fundos de pensão. Lembremos que o BNDES (à época dirigido por Carlos Lessa) injetou dinheiro na empresa, em troca de ações ordinárias, para evitar a desnacionalização.

    Desenvolvimento nacional
    Conflitos entre o governo e Agnelli, executivo originário do sistema financeiro (Bradespar), ocorreram durante a crise de 2008, quando a empresa demitiu centenas de trabalhadores e posteriormente, em função da sua resistência em investir em projetos siderúrgicos que permitam uma maior agregação de valor ao minério de ferro, hoje exportado em estado primário ou como commoditie.

    A pretensão de influenciar na definição da direção e dos projetos de investimentos da mineradora é mais do que legítima por parte de quem controla quase dois terços das ações e não renuncia à responsabilidade de induzir e promover o desenvolvimento nacional, no qual o papel da Vale hoje quase rivaliza com o da Petrobras.

    Lobo em pele de cordeiro
    O chamado pensamento único, de extração neoliberal, nega este direito elementar com histeria. Mas é preciso lembrar que o neoliberalismo foi rejeitado e derrotado pelo povo brasileiro, a última vez nas eleições de 2010. Infelizmente, os interesses que representa (de grandes grupos capitalistas) continuam fortes e atuantes.

    Os eleitores também viraram as costas para a mídia, que com notória hipocrisia agora finge idolatrar a presidente Dilma (olvidando o papel sujo que desempenhou na campanha política a favor da direita tucana), procurando incompatibilizá-la com o ex-presidente Lula, e se julga no direito de continuar ditando regras e impondo agendas na política e na economia. Um comportamento asqueroso, de lobo em pele de cordeiro, que não merece mais do que o repúdio popular.

    Da Redação, Umberto Martins, com agência

    Bispo que fez carta anti-Dilma processa jornal de São Bernardo

    O religioso alega ter sofrido danos morais por conta de reportagens publicadas pelo jornal. Além de aceitar a denúncia, o Poder Judiciário atendeu ao pedido do bispo de segredo de justiça ao processo.

    Depois de sustentar, em 2010, campanha para identificar com a defesa do aborto a então candidata à presidência Dilma Rousseff, o bispo da Diocese de Santo André, Nelson Westrupp, resolveu pedir indenização, em dinheiro, ao jornal ABCD Maior. O bispo alega ter sofrido danos morais por conta de reportagens publicadas pelo jornal. Além de aceitar a denúncia, o Poder Judiciário atendeu ao pedido do bispo de segredo de justiça ao processo.

    Para o advogado Rui Carneiro, que defende o Jornal ABCD Maior, “é uma perigosa aventura jurídica com caráter meramente vingativo em razão da vitória da presidente Dilma, além de tentar usar o Poder Judiciário para calar a imprensa e cercear o livre debate de assuntos de interesse público, o que é inadmissível no atual Estado Democrático de Direito.”

    Santa Inquisição
    De acordo com o jornalista Celso Horta, diretor do jornal, o que o bispo está querendo é “ressuscitar a Santa Inquisição. Até o sigilo de justiça está sendo invocado para pedir indenização pecuniária, um gesto muito contraditório com quem se diz ofendido em sua dignidade de religioso. O que, afinal, o bispo quer esconder atrás do sigilo? Será que os fiéis da Igreja Católica aceitam que um bispo lave sua honra com uma indenização em vil metal?”, perguntou o jornalista.

    Westrupp, que também é presidente do Conselho Regional Sul da CNBB, denuncia ainda o jornalista Júlio Gardesani, autor das reportagens. Pouco antes do final do primeiro turno, uma carta assinada por Westrupp e outros dois bispos foi distribuída nas igrejas de São Paulo e por simpatizantes da candidatura de José Serra (PSDB). No documento, Westrupp pediu aos fiéis que não votassem em candidatos que defendiam o aborto, citando por cinco vezes o PT como partido que defendia.

    A carta tumultuou a campanha eleitoral. Trouxe debates religiosos como a condenação do aborto e tirou o foco da discussão dos problemas nacionais. Enquanto a candidata, hoje presidente Dilma Rousseff, do PT, se defendia, José Serra, do PSDB, explorava o posicionamento da igreja. Dilma teve de se reunir com lideranças religiosas e preparar uma nota afirmando que não era a favor do aborto. O PT também teve de desmentir as afirmações de Westrupp.

    A seção nacional da CNBB publicou, em seu site, texto contrariando o documento de Westrupp. “Lamentamos profundamente que o nome da CNBB (...) tenha sido usado indevidamente ao longo da campanha, sendo objeto de manipulação. A CNBB não indica nenhum candidato (...) a escolha é um ato livre”.

    Evangélicos

    As informações sobre o envolvimento de Westrupp com as cartas também foram publicadas por outros jornais do ABCD e pela mídia impressa e eletrônica do País e internacional. Westrupp também se sentiu “ofendido” pela reportagem que citava a preocupação confessada pelo bispo em correspondência ao papa Bento 16 com o crescimento dos evangélicos e dos ateus em São Paulo.

    Todas as reportagens publicadas pelo Jornal ofereceram espaço ao bispo mas em nenhuma delas ele aceitou falar pessoalmente. A assessora, Irmã Marinéia, chegou a se manifestar em nome de Westrupp, conforme registra a edição, número 253, de 13 de outubro de 2010.

    Em relação à carta sobre o aborto, através de e-mail, o assessor de imprensa de Westrupp, Humberto Pastore, não só confirmou a autenticidade, como a encaminhou em anexo para o jornalista Júlio Gardesani. Em seguida, o bispo enviou ao jornal carta respondendo às reportagens, mas eivada de ofensas. “O jornalista Júlio Gardesani demonstra muito mais interesse em criar factóides e contendas do que informar (...) Creio que não é desse jeito que se faz jornalismo, Sr. Júlio Gardesani”, diz Westrupp. A correspondência do bispo foi publicada na íntegra pelo Jornal (edição número 260, de 05 de novembro de 2010).

    Jornalista critica Westrupp

    O presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, Guto Camargo, afirmou que a tentativa de Dom Nelson Westrupp de censurar o ABCD Maior é política e prejudica, principalmente, o leitor do jornal. Guto é o primeiro representante da sociedade ouvido pelo ABCD Maior sobre o processo movido pelo bispo contra o jornal e o jornalista Júlio Gardesani.

    “Essa é uma situação que muito nos preocupa ultimamente. Essa tentativa de interferência no trabalho da imprensa não é judicial, mas política. Isso porque, desde que derrubaram e Lei de Imprensa, não a substituíram por nenhuma outra. Assim, as decisões são subjetivas”, afirmou o presidente do Sindicato dos Jornalistas.

    Privação de informação - No entanto, o processo judicial movido por Dom Nelson Westrupp acerta diretamente o direito da população de se informar, explicou o presidente. “É um problema para o público leitor, que pode ser privado de uma informação por uma situação mal esclarecida”.

    O presidente do Sindicato ainda garantiu que nunca viu a Igreja Católica processando diretamente um jornal em São Paulo. “É o primeiro problema de tentativa de censura à liberdade de imprensa partindo da própria Igreja Católica que eu tenho conhecimento”.

    Por ABCD Maior

    quinta-feira, 24 de março de 2011

    Fux desempata no STF e Ficha Limpa vale a partir de 2012

    BRASÍLIA (Reuters) - Após um longo impasse no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa, o ministro Luiz Fux desempatou e a Corte decidiu, seis meses após a eleição do ano passado, que as novas regras de inelegibilidade só serão válidas a partir do pleito de 2012.
    Aqueles que tiveram seus registros negados pela Justiça Eleitoral no ano passado poderão ser empossados. A decisão desta quarta-feira valerá para todos os demais recursos que discutem a aplicabilidade da nova lei.
    Com a decisão desta quarta-feira, haverá mudanças no Senado e na Câmara, mas não deverá afetar a majoritária base aliada do governo Dilma. Deverão ser empossados como senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Jader Barbalho (PMDB-PA), Paulo Rocha (PT-PA) e João Capiberibe (PSB-AP). Já na Câmara, Janete Capiberibe (PSB-AP) deverá assumir uma cadeira como deputada federal.
    Fux, indicado pela presidente Dilma Rousseff neste ano como o 11o ministro da Corte, foi empossado neste mês e só nesta quarta-feira declarou sua posição em relação à nova lei. Com a posição contrária do magistrado e a manutenção do voto pelos demais ministros, as restrições propostas pela nova lei não poderão ser aplicadas contra os candidatos que concorreram nas eleições gerais de 2010.
    Em seu voto, Fux seguiu parecer do relator do caso, ministro Gilmar Mendes, ao entender que a nova lei "colide frontalmente" com o artigo 16 da Constituição Federal, que prevê o princípio da anterioridade, em que uma lei eleitoral não pode entrar em vigor no mesmo ano de sua aprovação. A lei foi aprovada no mesmo ano da eleição.
    "A Lei da Ficha Limpa fixou novas causas de inelegibilidade em 2010 que não poderiam ser aplicadas no mesmo ano da eleição", declarou Fux. "Além de ter afrontado a cláusula da anterioridade, feriu também de morte a garantia da segurança jurídica, inerente ao estado de direito. Surpresa e segurança jurídica não combinam", acrescentou.
    Apesar do voto contrário, ele elogiou a Ficha Limpa como um dos "mais belos espetáculos democráticos" e como "lei do futuro", mas alertou que "a tentação de aplicação da lei é muito grande, até para quem vota contra, mas deve ser resistida".
    Na ratificação de seu voto a favor da lei apenas a partir de 2012, Mendes declarou não ser possível a aprovação de novas regras que alterem um jogo já em curso.
    "Não há dúvida que a alteração de regra repercute de alguma forma no processo eleitoral", disse.
    DESEMPATE
    De iniciativa popular, a Lei da Ficha Limpa contou com 1,6 milhão de pessoas antes de ser aprovada pelo Congresso Nacional, em maio de 2010, e sancionada sem vetos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no mês seguinte.
    A lei impede que políticos com condenação na Justiça por decisão de um colegiado disputem eleições, assim como aqueles que renunciaram ao mandato para evitar cassação.
    A discussão em torno da lei voltou ao STF com o recurso de Leonídio Bouças (PMDB-MG), que teve candidatura a deputado estadual rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), devido a uma condenação por improbidade administrativa em 2002.
    No ano passado, os então dez ministros do STF não chegaram a um consenso sobre a validade total da lei já na última eleição, houve empate.
    Os ministros Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto, Cármen Lúcia, Ellen Gracie e Ricardo Lewandowski --que também é presidente do TSE-- se posicionaram a favor da aplicação da nova lei ainda em 2010 e repetiram o voto nesta quarta-feira.
    Foram contra, além de Mendes, o presidente da Corte, Cezar Peluso, e os ministros Celso de Mello, José Antônio Dias Tóffoli e Marco Aurélio Mello. Agora, com a chegada de Fux, houve o desempate.

    quarta-feira, 23 de março de 2011

     
     CARTA ABERTA AO BRADESCO
     
     
     
     
     
     
    Esta carta foi enviada ao Banco Bradesco, porém devido à criatividade com que foi redigida, deveria ser direcionada a todas as instituições financeiras. Tenho que prestar reverência ao  brasileiro(a) que, apesar de ser altamente explorado(a), ainda consegue manter o bom humor.
    Poderia ser dirigida à FEBRABAN e a qualquer outro banco brasileiro. . .


    Senhores  Diretores do Bradesco,

    Gostaria de saber se os  senhores aceitariam pagar uma taxa, uma pequena taxa mensal, pela existência da padaria na esquina de sua rua, ou pela existência do  posto de gasolina ou da farmácia ou da feira, ou de qualquer outro desses serviços indispensáveis ao nosso dia-a-dia. 

    Funcionaria assim: todo mês os senhores, e  todos os usuários, pagariam uma pequena taxa para a manutenção dos serviços (padaria, feira, mecânico, costureira, farmácia etc).. Uma taxa que não garantiria  nenhum direito extraordinário ao pagante.

    Existente  apenas para enriquecer os proprietários sob a alegação de que serviria para manter um serviço de alta qualidade.
    Por qualquer produto adquirido (um pãozinho, um remédio, uns litros de combustível etc) o usuário pagaria os preços de mercado ou, dependendo do produto, até um pouquinho acima. Que tal?

    Pois, ontem saí de seu Banco com a certeza que os senhores concordariam com tais taxas. Por uma questão de equidade e de honestidade.

    Minha certeza  deriva de um raciocínio simples. Vamos imaginar a seguinte cena: eu vou à padaria para comprar um pãozinho.  O padeiro me atende muito gentilmente. Vende o pãozinho. Cobra o embrulhar do pão, assim como, todo e qualquer serviço..

    Além disso,  me impõe taxas. Uma 'taxa de acesso ao pãozinho', outra  'taxa por guardar pão quentinho' e ainda uma 'taxa de abertura da padaria'. Tudo com muita cordialidade e muito profissionalismo, claro.

    Fazendo uma comparação que talvez os padeiros não concordem, foi o que ocorreu comigo em seu Banco.

    Financiei um carro. Ou seja, comprei um produto de seu negócio. Os senhores me  cobraram preços de mercado.  Assim como o padeiro me cobra o preço de mercado pelo pãozinho.

    Entretanto, diferentemente do padeiro, os  senhores não se satisfazem me cobrando apenas pelo produto que adquiri.

    Para ter acesso ao produto de seu negócio, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de crédito'  - equivalente  àquela hipotética 'taxa de acesso ao pãozinho', que os senhores certamente achariam um absurdo e se negariam a pagar.

    Não satisfeitos, para ter acesso ao pãozinho, digo, ao financiamento, fui obrigado a abrir uma conta corrente em seu Banco.

    Para que isso fosse possível, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de conta'.

    Como só é possível fazer negócios com os senhores depois de abrir uma conta, essa 'taxa de abertura de conta' se assemelharia a uma 'taxa de abertura da padaria', pois, só é possível fazer negócios com o padeiro depois de abrir a  padaria.

    Antigamente, os empréstimos bancários eram popularmente conhecidos como papagaios'. para liberar o 'papagaio', alguns Gerentes inescrupulosos cobravam um 'por fora', que era devidamente  embolsado.

    Fiquei  com a impressão que o Banco resolveu se antecipar aos
    gerentes inescrupulosos.

    Agora ao invés de um 'por fora' temos muitos 'por dentro'.
    -  Tirei um extrato de minha conta - um único extrato no mês - os senhores me cobraram uma taxa de R$ 5,00.
    -  Olhando o extrato, descobri uma outra taxa de R$ 7,90 'para a manutenção da conta'  semelhante  àquela 'taxa pela existência da padaria na esquina da rua'.
    -  A surpresa não acabou: descobri outra taxa de R$ 22,00 a cada trimestre -  uma taxa para manter um limite especial que não me dá nenhum direito. Se eu utilizar o limite especial vou pagar os juros (preços) mais altos do mundo.
    - Semelhante àquela 'taxa por guardar o pão quentinho'.
    - Mas, os senhores são insaciáveis. A gentil funcionária que me atendeu, me entregou um caderninho onde sou informado que me cobrarão taxas por toda e qualquer movimentação que eu fizer.

    Cordialmente, retribuindo tanta gentileza,  gostaria de alertar que os senhores esqueceram de me cobrar o ar que respirei enquanto  estive nas instalações de seu Banco.

    Por favor, me  esclareçam uma dúvida: até agora não sei se comprei um financiamento ou se vendi a alma?

    Depois que eu pagar as taxas correspondentes, talvez os senhores me respondam informando, muito cordial e profissionalmente, que um serviço bancário é muito diferente de uma padaria. Que sua responsabilidade é  muito grande, que existem inúmeras exigências  governamentais, que os riscos do negócio são muito elevados etc e tal. E, ademais, tudo o que estão cobrando está  devidamente coberto por lei, regulamentado e autorizado pelo Banco Central.

    Sei disso. Como sei, também, que existem seguros e garantias legais que protegem seu negócio  de todo e qualquer risco.

    Presumo que os riscos de uma  padaria, que não conta com o poder de influência dos senhores, talvez sejam muito mais elevados..

    Sei que são legais. Mas, também sei que são imorais. Por mais que estejam garantidas em lei, voces concordam o quanto são abusivas.!?!

    ENTÃO ENVIEM A QUANTOS CONTATOS PUDEREM.
    VAMOS VER SE MEXE COM A CABEÇA DE QUEM FEZ ESSAS LEIS PARA PENSAREM O QUANTO ESTÃO ERRADOS!!!
    Já fiz minha parte enviando para você.