Páginas

quarta-feira, 30 de junho de 2010

DILMA, A PRESIDENTE DE TODOS! BYBY SERRA!

Ascensão de Dilma atrai artistas e intelectuais!

O bom momento eleitoral da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff - que na pesquisa CNI/Ibope, divulgada na semana passada, tinha cinco pontos porcentuais acima do principal adversário, José Serra (PSDB) - tem atraído para o entorno da petista uma legião de curiosos fora da arena política.

Na última semana, Dilma Rousseff reservou tempo na agenda para encontros com intelectuais, artistas, representantes da elite paulistana e socialites. Na noite de segunda-feira, 28, após gravar o programa Roda Viva, da TV Cultura, Dilma Rousseff seguiu para Higienópolis, área nobre de São Paulo, acompanhada do ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Conduzida pelo ministro, Dilma participou de jantar no apartamento do coreógrafo Ivaldo Bertazzo. No evento, inicialmente preparado para aproximadamente 30 pessoas, cerca de 60 artistas queriam ouvir os planos de Dilma para a cultura.

“A imprensa cria uma imagem muito dura da Dilma, e as pessoas têm uma curiosidade muito grande para conhecê-la e conhecer suas propostas para a cultura”, afirmou o ministro ao Estado.

Juca Ferreira disse ter ficado impressionado com o alto nível de conhecimento da petista sobre ópera, que passou boa parte da noite conversando com o maestro John Neschling.

Segundo relatos dos presentes, Dilma permaneceu no local por cerca de três horas. Num contato afável com artistas, músicos e cantores, demonstrou que tinha interesse em estender o jantar até a madrugada, mas foi alertada por assessores sobre o horário do voo, que poderia perder.

Dilma Rousseff fez uma rápida apresentação sobre sua visão da cultura e depois respondeu a perguntas específicas dos artistas. Segundo a ex-ministra, o Brasil teve uma situação econômica confortável e estável e tem condições de investir mais no binômio educação e cultura.

Na sua exposição, elogiou também a política cultural do governo Lula iniciada sob o comando do ex-ministro Gilberto Gil e continuada por Ferreira. Admitiu que é preciso aperfeiçoar aspectos da Lei Rouanet, defendeu a liberdade de expressão e enfatizou que o Estado precisa ter um papel de estimulador de projetos culturais.

Dilma destacou ainda a importância da preservação de patrimônios culturais e escutou reclamações diversas sobre as dificuldades de conseguir patrocínios de empresas privadas para projetos sociais.

Num evento que contou também com a presença de estilistas e especialistas em moda, entre eles Gloria Kalil, Dilma defendeu que o setor precisa ser entendido como um segmento importante da economia, sobretudo por refletir a cultura de um povo.

“A ministra demonstrou um alto nível de conhecimento sobre a política cultural. Está afinada e acompanha bem as ações do ministério”, opinou Juca Ferreira. O ministro disse que há forte demanda no setor para uma agenda reservada com Dilma e sugeriu que o comando político da campanha pense em organizar eventos mais amplos com segmentos de artistas.

Entre os presentes, estavam os músicos Chico César e Seu Jorge, o escritor e roteirista Paulo Lins, atores e promotores culturais. “Acho que a educação e a cultura têm laços estreitos e essa deve ser uma preocupação primordial de qualquer governo. O PT tem uma relação muito boa com a educação e isso me pega pelo pé. Gostei da questão que a Dilma colocou”, afirmou Paulo Lins, escritor do livro Cidade de Deus. “Sou forte candidato a apoiar o presidente Lula mais uma vez”, disse Lins, que em seguida, declarou o voto a Dilma. “Vou votar na Dilma, sim. Decidi abrir meu voto.”

Segundo dirigentes do PT, Dilma irá participar de evento organizado pela viúva de Roberto Marinho, Lili Marinho, sexta-feira, 2, no Rio de Janeiro. A candidata deverá ser acompanhada pelo ex-ministro Antônio Palocci. Na semana passada, Dilma aceitou convite de Geyze Diniz, mulher do empresário do Grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz, para participar de uma reunião com socialites paulistas.Agência.

  Fonte: Amigos do Presidente.



terça-feira, 29 de junho de 2010

É A MELHOR DEFINIÇÃO QUE JÁ VÍ E OS PROFESSORES NUNCA ENSINARAM...

O QUE É GLOBALIZAÇÃO ?
SIMPLESMENTE FANTÁSTICA A DEFINIÇÃO.

Pergunta: Qual é a mais correta definição de Globalização?

Resposta: A Morte da Princesa Diana..

Pergunta: Por quê?

Resposta: Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um túnel francês, num carro alemão com motor holandês, conduzido por um belga, bêbado de whisky escocês, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um médico canadense, que usou medicamentos americanos. E isto é enviado a você por um brasileiro, usando tecnologia americana (Bill Gates) e provavelmente, você está lendo isso em um computador genérico que usa chips feitos emTaiwan e um monitor coreano montado por trabalhadores de Bangladesh, numa fábrica de Singapura, transportado em caminhões conduzidos por indianos, roubados por indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, reempacotados por mexicanos e, finalmente, vendido a você por chineses, através de uma conexão paraguaia

Isto é,

*GLOBALIZAÇÃO!!!*

QUEM SOU EU?
Nesta altura da vida já não sei mais quem sou...
Vejam só que dilema!!!

Na ficha da loja sou CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando alugo uma casa INQUILINO, na condução PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado CONSUMIDOR.

Para a Receita Federal CONTRIBUINTE, se vendo algo importado CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido INADIMPLENTE, se não pago imposto SONEGADOR. Para votar ELEITOR, mas em comícios MASSA , em viagens TURISTA , na rua caminhando PEDESTRE, se sou atropelado ACIDENTADO, no hospital PACIENTE. Nos jornais viro VÍTIMA, se compro um livro LEITOR, se ouço rádio OUVINTE. Para o Ibope ESPECTADOR, para apresentador de televisão TELESPECTADOR, no campo de futebol TORCEDOR.

Se sou corintiano, SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. (se trabalho na ANATEL , sou COLABORADOR ) e, quando morrer... uns dirão... FINADO, outros... DEFUNTO, para outros... EXTINTO , para o povão... PRESUNTO... Em certos círculos espiritualistas serei... DESENCARNADO, evangélicos dirão que fui... ARREBATADO...

E o pior de tudo é que para todo governante sou apenas um IMBECIL !!! E pensar que um dia já fui mais EU.

segunda-feira, 28 de junho de 2010





BIOGRAFIA DE JOÃO CÂNDIDO


Nasceu em 24 de Junho de 1880, na então Província (hoje Estado) do Rio Grande do Sul, no município de Encruzilhada (hoje Encruzilhada do Sul), na fazenda Coxilha Bonita que ficava no vilarejo Dom Feliciano - o quinto distrito do Município Encruzilhada, que havia sido distrito de Rio Pardo até 1849. Filho dos ex-escravos João Felisberto Cândido e Inácia Felisberto, apresentou-se em 1894 na Companhia de Artífices Militares e Menores Aprendizes no Arsenal de Guerra de Porto Alegre[1] com uma recomendação de atenção especial, escrita por um velho amigo e protetor de Rio Pardo, o então capitão-de-fragata Alexandrino de Alencar, que assim o encaminhava àquela escola. Em 1895 conseguiu transferência para a Escola de Aprendizes de Porto Alegre, e em dezembro do mesmo ano, para a Marinha do Brasil, na capital, a cidade do Rio de Janeiro.

Desse modo, numa época em que a maioria dos aprendizes era recrutada pela polícia, João Cândido alistou-se com o número 40 na Marinha do Brasil em Janeiro de 1895, aos 14 anos de idade, ingressando como grumete a 10 de dezembro de 1895.
Em depoimento para a Anamnese do Hospital dos Alienados em abril de 1911 e para a Gazeta de Notícias de 31/12/1912), João Cândido afirma ter sido soldado do General Pinheiro Machado, na Revolução Federalista, em 1893, portanto antes de entrar para a escola de aprendizes.

Teve uma carreira extensa de viagens pelo Brasil e por vários países do mundo nos 15 anos que esteve na Marinha de Guerra. Muitas delas foram viagens de instrução, no começo recebendo instrução, e depois dando instrução de procedimentos de um navio de guerra para marinheiros mais novos e oficiais recém-chegados à Marinha.

A partir de 1908, para acompanhar o final da construção de navios de guerra encomendados pelo governo brasileiro, muitos marinheiros foram enviados à Grã-Bretanha. Em 1909 João Cândido também para lá foi enviado, onde tomou conhecimento do movimento realizado pelos marinheiros russos em 1905, reivindicando melhores condições de trabalho (a revolta do Encouraçado Potemkin).

Tornou-se muito admirado pelos companheiros marinheiros, que o indicaram por duas vezes para representar o "Deus Netuno" na travessia sobre a linha do equador, e muito elogiado pelos oficiais, por seu bom comportamento, e pelas suas habilidades principalmente como timoneiro. Era o marinheiro mais experiente e de maior trânsito entre marinheiros e oficiais, a pessoa indicada para liderar a revolta.

O movimento dos marinheiros da Marinha de Guerra

O uso da chibata como castigo na Armada brasileira já havia sido abolido em um dos primeiros atos do regime republicano, o decreto número 3, de 16 de Novembro de 1889, assinado pelo então presidente marechal Deodoro da Fonseca. Todavia, o castigo cruel continuava de fato a ser aplicado, a critério dos oficiais. Num contingente de 90% de negros e mulatos, centenas de marujos continuavam a ter seus corpos retalhados pela chibata, como no tempo da escravidão. Entre os marinheiros, insatisfeitos com os baixos soldos, com a má alimentação e, principalmente, com os degradantes castigos corporais, crescia o clima de tensão.

Já em 1893, na canhoeira Marajó, um contingente de marinheiros havia se revoltado contra o excesso de castigos físicos, exigindo a troca do comandante que abusava da chibata e outros suplícios. Na época, ainda não queriam o fim da Chibata, mas a troca do comandante do navio, para evitar abusos. Definitivamente, não era normal receber chibatadas. E, para piorar, os oficiais extrapolavam o limite de próprio regimento da Marinha, baseado num decreto que nunca foi publicado no Diário Oficial, que estabelecia a criação de Companhias Correcionais que poderiam indicar a punição de até 25 chibatadas, após a Abolição da Escravatura.

Ainda na Grã-Bretanha, e depois, ao retornarem ao Brasil, os marinheiros que lá estiveram para acompanhar a construção dos encouraçados Minas Gerais e São Paulo, iniciaram um movimento conspiratório com vistas a tomar uma atitude mais efetiva no sentido de acabar com a Chibata na Marinha de Guerra.

As eleições presidenciais de 1910, embora vencidas pelo candidato situacionista marechal Hermes da Fonseca, expressaram o descontentamento da sociedade com o regime vigente. O candidato oposicionista, Rui Barbosa, realizou intensa campanha eleitoral, reforçando a esperança de transformações do povo brasileiro.

Esgotadas as tentativas pacíficas e propositivas dos marinheiros, incluindo uma audiência de João Cândido no Gabinete do presidente anterior, Nilo Peçanha, e na presença do ministro da marinha, Alexandrino de Alencar sem qualquer providência efetiva para o fim dos castigos físicos, os marinheiros decidiram que iriam fazer um motim pelo fim do uso da chibata em 25 de Novembro de 1910.

Entretanto, menos de uma semana após a posse do marechal Hermes da Fonseca, o marinheiro Marcelino Rodrigues de Menezes foi punido a 21 de Novembro com 250 chibatadas, que não se interromperam nem mesmo com o desmaio do mesmo, conforme noticiado pelos jornais da época, aplicadas na presença de toda a tripulação do Encouraçado Minas Gerais, nau capitânia da Armada. Este fato antecipou a data programada para o motim, de 25 para 22 de Novembro de 1910.

Revolta da Chibata

No dia 22 de novembro de 1910, João Cândido deu início ao levante, assumindo o comando do Minas Gerais, pleiteando a abolição dos castigos corporais na Marinha de Guerra brasileira. Foi designado à época, pela imprensa, como Almirante Negro. Por quatro dias, os navios de guerra Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Deodoro apontaram os seus canhões para a Capital Federal. No ultimato dirigido ao Presidente Hermes da Fonseca, os revoltosos declararam: "Nós, marinheiros, cidadãos brasileiros e republicanos, não podemos mais suportar a escravidão na Marinha brasileira". A rebelião terminou com o compromisso do governo federal em acabar com o emprego da chibata na Marinha e de conceder anistia aos revoltosos. Entretanto, no dia seguinte ao desarmamento dos navios rebelados, o governo promulgou em 28 de novembro um decreto permitindo a expulsão de marinheiros que representassem risco, o que era um nítida quebra de palavra, uma traição do texto da lei de anistia aprovada no dia 25 pelo Senado da República e sancionada pelo presidente Hermes da Fonseca. Alguns marinheiros começaram a ser afastados da Marinha, aparentemente em comum acordo, para o bem de todos.

 Expulsão da Marinha

Pouco tempo depois, a eclosão de um novo e até hoje inexplicável levante entre os fuzileiros navais, no quartel da ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, em 9 de Dezembro de 1910, foi prontamente reprimida pelas autoridades, Marinha e Governo, e serviu de justificativa para Hermes da Fonseca demandar do Senado aprovação do estado de sítio (lei marcial). João Cândido chegou a ordenar tiro de canhão sobre os marinheiros-fuzileiros amotinados na Ilha das Cobras para provar sua lealdade ao governo. Mas de nada adiantou.

Apesar de não haver participado da organização deste segundo levante, João Cândido foi expulso da Marinha, sob a falsa acusação de ter favorecido os rebeldes. Foi preso em 13 de Dezembro no quartel do exército, e transferido no dia de natal (24 de dezembro de 1910) para uma masmorra na Ilha das Cobras, onde 16 de seus 17 companheiros de cela morreram asfixiados. Em abril de 1911 foi transferido para o Hospital dos Alienados, como louco, mas recebeu alta e voltou para a Ilha das Cobras, de onde foi solto em 1912, absolvido das acusações juntamente com nove companheiros. À época, o seu defensor foi o rábula Evaristo de Moraes, contratado pela Ordem de Nossa Senhora do Rosário e dos Homens Pretos, que declinou o recebimento dos honorários que lhe eram devidos.

Banido da Marinha, João Cândido sofreu grandes privações, vivendo precariamente, trabalhando como estivador e descarregando peixes na Praça XV, no centro do Rio de Janeiro.

De acordo com a sua ficha, nos quinze anos em que permaneceu na Marinha, foi castigado em nove ocasiões, preso entre dois a quatro dias em celas solitárias "a pão e água", além de ter sido duas vezes rebaixado de cabo a marinheiro. A sua ficha registra ainda dez elogios por bom comportamento nos últimos três meses antes da revolta.

A sua vida pessoal foi profundamente abalada pelo suicídio de sua segunda esposa (1928). Em 1930 foi novamente detido, acusado de subversão.

Adesão ao Integralismo

Em 1933 foi convidado e aderiu à Ação Integralista Brasileira,[4][5] movimento nacionalista de direita inspirado no fascismo italiano fundado em 1932 pelo escritor Plínio Salgado, chegando a ser o líder do núcleo integralista de Gamboa, no Rio de Janeiro. Em entrevista gravada em 1968, João Cândido declarou manter sua amizade com Plínio Salgado e de ter orgulho em ter sido integralista, o que está evidenciado na entrevista que concedeu ao médico-historiador Hélio Silva e que se encontra arquivada no Museu da Imagem e do Som (MIS), no Rio de Janeiro. Note-se que na década de 1930 não havia informação sobre o genocídio de seis milhões de judeus, ocorrido durante a segunda guerra mundial (1939-1945). O Integralismo prometia nacionalismo e socialismo (o mesmo binômio que enganou toda a população da Alemanha com o nazismo), e permitia que mulheres e negros se filiassem ao partido, no que destoava totalmente do nazismo. Importante é ainda notar que mentes libertadoras como as de Abdias Nascimento e Dom Hélder Câmara também se filiaram ao Integralismo e, como João Cândido, se decepcionaram e saíram do partido. João Cândido, que era sobretudo um militar, que sonhava voltar à Marinha de Guerra, tinha sido muito assediado com honrarias dos oficiais da Marinha para que fizesse parte do movimento integralista, com a promessa de reintegrá-lo. No final, o líder integralista Plínio Salgado se refugiou em Portugal, deixando os seus seguidores à deriva. Ver Integralismo.

Em 1959 voltou ao Sul do País para ser homenageado, mas a cerimônia foi suspensa por interferência da Marinha do Brasil.

 Falecimento

Discriminado e perseguido pela Marinha até ao fim de sua vida, se recolheu no município de São João de Meriti, onde veio a se aproximar da Igreja Evangélica Metodista. Ali em sua casa passou mal e foi levado ao Hospital Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, onde viria a falecer de câncer, pobre e esquecido, em 6 de dezembro de 1969, aos 89 anos de idade.

Legado, homenagens e resgates

Monumento a João Cândido, na Praça XV, Rio de Janeiro.

A sua memória foi resgatada na década de 1970 pelos compositores João Bosco e Aldir Blanc, no samba "O mestre-sala dos mares".

Em outubro de 2005, o deputado nacionalista Elimar Máximo Damasceno (PRONA/SP) apresentou o projeto de lei n. 5874/05, determinando inscrever o nome de João Cândido no "Livro dos Heróis da Pátria", que se encontra no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília (DF).

Em Setembro de 2007, faleceu, aos 82 anos de idade, Zeelândia Cândido, filha mais nova de João Cândido, que dedicou a vida a obter a reintegração do nome de seu pai à Marinha, corporação de onde saiu sem quaisquer direitos.

Em 22 de Novembro de 2007 (aniversário de 97 anos da Revolta), foi inaugurada uma estátua em homenagem ao "Almirante Negro", nos jardins do Museu da República, antigo Palácio do Catete, bombardeado durante a revolta. A estátua, de corpo inteiro, de João Cândido com o leme em suas mãos, foi afixada de frente para o mar. Como parte da solenidade, que teve a presença de autoridades, familiares e representantes dos movimentos sociais, foi exibido o filme Memórias da Chibata, de Marcos Manhães Marins, e feita uma exposição fotográfica da Revolta da Chibata, sob a curadoria do cientista político e juiz de direito João Batista Damasceno.

Em 24 de julho de 2008, 39 anos depois da morte de João Cândido Felisberto, publicou-se, no Diário Oficial da União, a Lei Nº 11.756 que concedeu anistia[6] ao líder da Revolta da Chibata e a seus companheiros, ideia que partiu do Senado Federal e foi aprovada pela Câmara dos Deputados, em 13 de maio de 2008, dia em que se comemora a Abolição da Escravatura no Brasil.

No entanto, a lei foi vetada na parte em que determinava a reintegração de João Cândido à Marinha do Brasil. O motivo do veto é que esse reabilitação "post mortem" importaria em impacto orçamentário para o qual a lei não apontou a referida fonte de custeio. Assim, uma vez que tal reconhecimento imporia à União o pagamento dos soldos atrasados e das promoções que lhe seriam devidas, bem como na concessão de aposentadoria e pensão aos seus dependentes, nesse particular a lei foi vetada por ser contrária ao interesse público, no julgamento da equipe do governo federal. Na realidade, somente 2 (duas) famílias se apresentaram como descendentes de marinheiros que participaram da Revolta da Chibata: a do próprio líder João Cândido Felisberto e a do marinheiro Adalberto Ribas, que fugiu de um dos barcos logo após a revolta. Entidades alegam que indenizar duas famílias não quebrará os cofres do governo brasileiro.

Após dois anos, em 20 de Novembro de 2008, a estátua foi transferida dos jardins do Palácio do Catete para a Praça Quinze de Novembro, no centro da cidade do Rio de Janeiro, em grande evento que contou com a presença do presidente da república, a família de João Cândido e milhares de pessoas.

No dia 07 de Maio de 2010, a Transpetro, a pedido do presidente da república, batizou com o nome de "João Cândido" (em homenagem àquele que ficou conhecido em 1910 como "almirante negro") o primeiro navio do PROMEF (Programa de Modernização e Expansão da Frota), primeiro petroleiro produzido em estaleiro nacional após um intervalo de mais de 13 anos. A cerimônia ocorreu no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca-PE, e a trabalhadora negra Josenilda Maria da Silva foi escolhida como madrinha do navio, representando toda a força de trabalho do estaleiro EAS. O navio será comandado por um Capitão de Longo Curso (CLC) da Marinha Mercante e será utilizado na exportação. A entidade UMNA, Unidade de Mobilização Nacional pela Anistia, reivindicou junto à Transpetro (Petrobras Transportes S.A.) que o nome do navio receba o justo complemento e, antes do lançamento ao mar, se torne: "Marinheiro João Cândido", a exemplo de outros navios como o "Marinheiro Marcílio Dias", ou receba o nome "João Cândido Felisberto", uma vez que com primeiros nomes "João Cândido" existem muitos e mais famosos do que o líder da revolta (João Candido Portinari, João Cândido Ferreira, João Cândido da Silva, e até mesmo o Almirante João Cândido Brasil, que é nome de rua no Rio de Janeiro).

O Petroleiro "João Cândido" tem 274 metros de comprimento e capacidade para transportar 1 milhão de barris de petróleo.o navio foi construído pelo Estaleiro Atlântico Sul, ao custo de R$ 300 milhões.



Indústria naval renasce das cinzas


A indústria naval brasileira chegou a ser a segunda maior do mundo, empregando, em 1979, 39 mil trabalhadores. Nas décadas seguintes, quando os navios e plataformas de exploração passaram a ser importados, o setor começou a definhar até quase virar pó, com o número de empregados caindo para 1,9 mil, no ano de 2000. Hoje, no entanto, a indústria naval está renascendo das cinzas. O setor já superou em muito o número de empregados da época áurea, empregando atualmente 46,5 mil trabalhadores.

Esta reviravolta fantástica está sendo proporcionada sobretudo pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef), um dos principais projetos do PAC. As encomendas do Promef somam 49 navios de grande porte. As premissas do Promef são de que os navios devem ser construídos no Brasil e com índice de nacionalização de 65% na primeira fase e de 70% na segunda, além da exigência de que sejam competitivos internacionalmente.

No mês passado, nós participamos do lançamento ao mar do primeiro navio concluído: o João Cândido, construído pelo Estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco, com 274 metros de comprimento, duas vezes e meia a distância de uma trave à outra do campo do Maracanã. Na última quinta-feira, o segundo navio, o Celso Furtado, foi lançado ao mar no Estaleiro Mauá, em Niterói, no Rio de Janeiro. Nós estamos resgatando uma tradição cara ao nosso país, uma vez que este estaleiro foi fundado em 1846 pelo Barão de Mauá, pioneiro da indústria naval e do desenvolvimento industrial do nosso país.

A grande maioria dos trabalhadores do Atlântico Sul ganhava a vida como pescador, cortador de cana ou doméstica. Todos eles receberam formação em três fases, até a qualificação final para as atividades de soldador, caldeireiro, mecânico, montador e pintor. Não há nada que pague ver a expressão de felicidade estampada no rosto dos trabalhadores, pessoas que jamais imaginaram que um dia seriam capazes de construir um verdadeiro monumento, como é o navio João Cândido.

A retomada da indústria naval é irreversível. Além das encomendas atuais, não é difícil imaginar quantas encomendas serão geradas com o início da exploração do pré-sal. Além da revitalização dos antigos estaleiros e da construção, por exemplo, do Atlântico Sul, o Estaleiro Aliança, de Niterói, vai construir uma nova unidade em São Gonçalo (RJ); o Estaleiro Rio Grande, em Rio Grande (RS), construirá oito cascos de navios-plataforma para a Petrobras, e o grupo Wilson Sons anunciou, na semana passada, a construção de outro estaleiro na mesma cidade. Outros quatro serão instalados no país, para atender à demanda crescente: Paraguaçu, na Bahia, Eisa, em Alagoas, Promar, no Ceará ou Pernambuco, e Corema, em Manaus. Os reflexos desta verdadeira explosão da indústria naval estão se espraiando por toda a economia e beneficiando, direta ou indiretamente, todos os brasileiros.

Luiz Inácio Lula da Silva é presidente da República Federativa do Brasil.



sexta-feira, 25 de junho de 2010

CONHECENDO A MARVADA!

RANKING PLAYBOY DA CACHAÇA

Reunimos os maiores especialistas do Brasil para eleger as 20 melhores aguardentes















Por Willian Vieira

Cada vez mais, o Brasil deixa de ser o único país do mundo a se envergonhar do seu destilado. A boa e velha cachaça há muito deixou de ser uma bebida sem valor. Hoje é apreciada em confrarias, tem admiradores mundo afora e já conta com legislação específica. Fatores que, combinados, impulsionam um mercado promissor, com lucro de até 600 milhões de dólares ao ano.



São mais de 5 mil marcas de cachaça legalizadas no Brasil e uma produção de cerca de 1,4 bilhão de litros ao ano. Nessa conta estão desde cachaças artesanais que levam anos para ficarem prontas e podem custar até 500 reais a garrafa, até pingas industriais produzidas em algumas horas e vendidas a 2 ou 3 reais. Um abismo não só de preço, mas principalmente de qualidade. Dizer qual cachaça tem sabor mais intenso, melhor buquê, melhor aroma e, em especial, qual realmente vale o que se paga por um vinho importado (embora raramente custe tanto) não é tarefa simples. Por isso, reunimos 13 experts no assunto e pedimos que eles votassem nas melhores cachaças do Brasil. Apurada a votação, levamos o químico especialista em destilados Erwin Weimann, autor do livro Cachaça: a Bebida Brasileira, à Universidade da Cachaça, em São Paulo, onde, ao lado do chef Sérgio Arno, dono da casa, ele degustou e comentou cada uma das 20 escolhidas. Confira aqui quais são, segundo os bons entendedores, as melhores aguardentes do país.




20º Lugar  - Volúpia
Procedência: Alagoa Grande, PB
Graduação alcoólica: 42%
Envelhecimento: descansada um ano em freijó
Bebida de sabor forte e bastante pronunciado, a paraibana Volúpia é uma das duas representantes das cachaças nordestinas na votação dos especialistas. É descansada em freijó, uma madeira típica do Nordeste, raramente usada por outros produtores e que pouco interfere na bebida, o que explica a cor branca dessa aguardente.


                         19º Lugar -  GRM
                          Procedência: Araguari,
                          Graduação alcoólica: 41%
                          Envelhecimento: dois anos em carvalho, umburana e jequitibá-  rosa
                          Cachaça envelhecida de excelente equilíbrio e harmonia. A combinação    de três madeiras suaviza a força da umburana e proporciona um sabor palatável, puxado para o amargo.


                                                  18º Lugar  - Seleta
              Procedência: Salinas, MG
              Graduação alcoólica: 42%
               Envelhecimento: dois anos em umburana
               Envelhecida em umburana, a Seleta é um bom exemplo da presença dessa madeira, que empresta um gosto acre, forte e persistente por muito tempo. Recomendada aos que gostam de sabores intensos.
                                                   17º Lugar -  Abaíra
                                                   Procedência:Chapada Diamantina, BA
                  Graduação alcoólica: 42%
                  Envelhecimento: três anos em carvalho
                  Límpida e brilhante, com aroma suave. Nela prevalece o carvalho, que virou um símbolo de qualidade entre destilados, por causa dos whiskies e cognacs.





        16º Lugar -  Lua Cheia
        Procedência: Salinas, MG
        Graduação alcoólica: 45%
        Envelhecimento: entre dois e três anos em bálsamo
        Das mais típicas de Salinas. O bálsamo confere a ela uma cor dourada e    cintilante, além de trazer um sabor amadeirado e levemente apimentado.




                                                  15º Lugar  - Mato Dentro
                Procedência: São Luiz do Paraitinga, SP
                Graduação alcoólica: 41%
                Envelhecimento: descansada oito meses em amendoim
                Na variação Prata, a escolhida pelos votantes, ela é envelhecida em  tonéis   de amendoim, uma madeira neutra, que interfere pouco na aguardente, e dá coloração límpida. Tem sabor e aroma delicados, próximos da cana. Quase com "cheiro de roça".

       14º Lugar - Corisco
       Procedência: Parati, RJ
      Graduação alcoólica: 45%
      Envelhecimento: dois anos em carvalho
    "É uma cachaça jovem, que ainda precisa envelhecer", afirmam nossos  conhecedores. A combinação de muito álcool e pouco envelhecimento, característica das cachaças de Parati, resulta numa bebida forte e picante. Boa representante das pingas da região.



          13º Lugar Sapucaia Velha
          Procedência: Pindamonhangaba, SP
          Graduação alcoólica: 40,5%
          Envelhecimento: dez anos em carvalho
          É do envelhecimento no carvalho que vem o sabor e o buquê acentuados. Criada em 1930, tem fama de ser produzida com extremo cuidado.




12º Lugar -  Indaiazinha
Procedência: Salinas, MG
Graduação alcoólica: 48%
Envelhecimento: oito anos em bálsamo
De cor dourada, passa por longo envelhecimento no bálsamo, o que dá a ela um sabor ligeiramente semelhante ao de amêndoa. "Para se beber de joelhos", diz Weimann.





11º Lugar Maria Izabel
Procedência: Parati, RJ
Graduação alcoólica: 44% (o rótulo indica, erroneamente, 42%)
Envelhecimento: entre um e quatro anos em carvalho
Suave, agradável, de baixa acidez. Aroma e sabor lembram a cana. Se destaca entre as cachaças de Parati pelo esmero da produtora e pelo uso do carvalho.




10º Lugar  - Piragibana
Procedência: Salinas, MG
Graduação alcoólica: 47%
Envelhecimento: 22 anos em bálsamo e carvalho
A Piragibana é harmônica, com sabor e aroma persistentes, ainda que delicados - resultado do longuíssimo envelhecimento em bálsamo e carvalho. Caso típico de influência da combinação de madeiras, aqui escolhidas por Juventino Miranda, o produtor.



9º Lugar -  Magnífica
Procedência: Miguel Pereira, RJ
Graduação alcoólica: 45%
Envelhecimento: três anos em carvalho
Uma cachaça equilibrada. Apesar dos 45% de graduação alcoólica, a Magnífica é uma bebida suave, que desce fácil e apresenta buquê simples de cana jovem. Sua cor límpida é mais um destaque.


8º Lugar  - Armazém Vieira
Procedência: Florianópolis, SC
Graduação alcoólica: 44%
Envelhecimento: quatro anos em ariribá
O ariribá, madeira do litoral catarinense pouco usada no armazenamento de cachaças, tem interferência mínima na bebida e permite que ela envelheça sem afetar o gosto da cana. Desce macia, segundo os especialistas, pois o frescor da cana equilibra bem com a madeira.

7º Lugar  - Casa Bucco
Procedência: Passo Velho, RS
Graduação alcoólica: 40%
Envelhecimento: dois anos em bálsamo e carvalho
Seu aroma e o sabor de carvalho são persistentes e lembram um bom brandy. É ácida e um pouco forte, sabores típicos de um terroir com pH elevado. Para quem gosta de carvalho e de tudo o que a madeira
empresta à bebida.


6º Lugar -  Boazinha
Procedência: Salinas, MG
Graduação alcoólica: 42%
Envelhecimento: dois anos em bálsamo
Cor brilhante e viscosidade perfeita, com forte presença do bálsamo no aroma e no sabor, que persistem longamente. A Boazinha é uma clássica representante de Salinas, por causa da influência da madeira: cor bem amarelada e sabor marcante.



5º Lugar  - Claudionor
Procedência: Januária, MG
Graduação alcoólica: 48%
Envelhecimento: entre um e meio e dois anos em carvalho
A cidade de Januária já foi sinônimo da bebida, mas perdeu a vez para Salinas como região emblemática da cachaça mineira. A Claudionor, porém, é ótima opção para quem gosta de cachaça à moda antiga, forte, com muito gosto de cana. Para adequar-se à nova legislação, teve de reduzir seus 54% de graduação alcoólica para "apenas" 48%. Transparente, apesar de bem envelhecida, Claudionor tem buquê neutro, de cana madura e bem descansada, cujo gosto persiste na boca. É uma cachaça com corpo, equilibrada, perfeita para quem foge das madeiras.

4º Lugar -  Germana
Procedência: Nova União, MG
Graduação alcoólica: 40%
Envelhecimento: dois anos em carvalho e bálsamo
Facilmente reconhecida numa prateleira devido à embalagem, a garrafa da Germana é toda revestida de folhas secas de bananeira por mulheres artesãs do Engenho de Nova União. O objetivo é proteger a bebida da luz e do calor e assim manter suas características. Antes de ser engarrafada, a Germana envelhece dois anos em tonéis de carvalho e bálsamo. O resultado é uma cachaça suave, com sabor sutil, que pode agradar também ao público leigo.


                                                       3º Lugar - Canarinha
                                                       Procedência: Salinas, MG
                                                       Graduação alcoólica: 44%
Envelhecimento: três anos em bálsamo
A procedência e o sobrenome do produtor são belas credenciais. Produzida em Salinas, a Canarinha é feita por Noé Santiago, sobrinho de Anísio Santiago, criador da famosa cachaça Havana (veja abaixo). Antes de ser embalada nas tradicionais garrafas de cerveja, ela é envelhecida por três anos em tonéis de bálsamo, o que lhe confere uma cor suave, amarelinha, e um sabor levemente apimentado, típico das aguardentes de Salinas. Para Weimann, a cor dourada como um champagne, o sabor frutado e o buquê de flores do campo e capim fazem a diferença. "É uma cachaça das mais puras, equilibrada, persistente e excelente", garante Weimann.



                                          2º Lugar - Anísio Santiago
                                          Procedência: Salinas, MG
                                         Graduação alcoólica: 44,8%
Envelhecimento: entre seis e oito anos em carvalho e bálsamo
Anísio Santiago é mais que uma cachaça - é um mito. Forte, com cheiro de madeira seca, um leve amargor que permanece na boca, sabor e aroma persistentes. "O segredo de Anísio é a combinação de madeiras diversas. Não é perfeita, é mais uma boa cachaça, um ícone a ser reverenciado", diz Weimann. E que se tornou mitológica devido a uma questão judicial: a Havana perdeu o nome e foi rebatizada como Anísio Santiago. Hoje, uma garrafa antiga de Havana chega a custar mais de 20 mil reais. "É o marketing 'cubano': 'a gente faz por gosto, dane-se o mercado, quem quiser que corra atrás'. Ainda que haja uma dúzia de cachaças tão boas quanto ela por 10% do preço", diz o jornalista Ronaldo Ribeiro, autor de várias reportagens sobre a Havana. O preço de uma Anísio Santiago varia bastante, podendo custar entre 200 e 300 reais em São Paulo. "A expectativa é tão grande que, ao provar, no primeiro gole você já está fascinado", garante Ribeiro. Tal é o sabor de uma boa história.


                                          Primeiríssimo lugar - Vale Verde
                                          Procedência: Betim, MG
                                          Graduação alcoólica: 40%
Envelhecimento: três anos em carvalho
A campeã é uma cachaça correta em todos os sentidos. É produzida na fazenda Vale Verde que, além de engenho de cachaça, é também um parque ecológico, com visitas guiadas onde se pode conhecer os "segredos" da produção. A aguardente é equilibrada, encorpada e madura. Segundo os produtores, suas técnicas de fermentação e destilação foram baseadas naquelas praticadas na Europa para fabricação de whiskies. Isso proporciona um produto final equilibrado, estável, pronto. Os três anos em tonéis de carvalho explicam a cor dourada e o buquê marcante de madeira. É justamente esse envelhecimento que garante o equilíbrio da bebida, que desce redondinha, sem aspereza. A cana colhida no ponto certo, fruto dos solos calcários da região de Betim, a fermentação nos antigos alambiques de cobre e a criteriosa escolha dos barris de carvalho garantem a cor brilhante e o sabor adocicado persistente. Além disso, a Vale Verde tem a melhor relação custo-benefício: uma garrafa custa, em média, 30 reais.
Por Sérgio Arno, Chef e Dono da Universidade da cachaça
1º MANDAMENTO
ANALISARÁS BEM O RÓTULO
Verifique o ano, a procedência, a cor, o lacre
e a graduação alcoólica. Garrafa deve ser sempre transparente, pois a cor ajuda a identificar, entre
outras coisas, as impurezas.


2º MANDAMENTO
NÃO TERÁS PRECONCEITO
Se de qualidade garantida, a cachaça não
tem nada de "marvada". Ter preconceito é
totalmente infundado.

3º MANDAMENTO
BEBERÁS SEMPRE EM TEMPERATURA AMBIENTE
A temperatura ambiente é ideal, pois mantém
o aroma e o sabor intocados.

4º MANDAMENTO
DARÁS A CADA CACHAÇA SEU FIM MERECIDO
Para a mundialmente conhecida caipirinha,
deve-se usar uma cachaça com teor alcoólico
alto, pois o gelo dilui a bebida. E sempre branca.
O sabor envelhecido não combina com a caipirinha.
O mesmo tipo de cachaça, branca e forte, deve
ser usado para culinária, pois o alto teor alcoólico
flamba melhor. E, para beber purinha, vale a melhor cachaça, claro, envelhecida em tonéis de madeira e
de boa procedência.


5º MANDAMENTO
ESTOCARÁS SEMPRE
Monte a sua adega. Mantenha as garrafas num
ambiente escuro, fresco e longe da mesa, para
evitar a tentação.


6º MANDAMENTO
CONHECERÁS PARA DEGUSTAR
Um pouco de conhecimento sobre o mercado e a
história da cachaça ajuda a não levar gato por
lebre. Salinas, por exemplo,é ícone da cachaça
nacional, mas algumas marcas desconhecidas
embarcam na fama e vendem pinga barata com
a rubrica da cidade. Atenção às cachaças indicadas
por este ranking. Livros, como o de Erwin Weimann,
também ajudam.

7º MANDAMENTO
NUNCA BEBERÁS CACHAÇA SOZINHO
Cachaça é para bebericar com os amigos,
é algo social. Quanto mais amigos se tem,
mais cachaça na cabeça...


8º MANDAMENTO
COMBINARÁS A BOA CACHAÇA COM A BOA COMIDA
Tudo que é gorduroso vai bem com cachaça.
Mas tem de ser branca, nunca envelhecida,
porque o sabor da madeira compete com o do
alimento. Cachaça envelhecida, só após as
refeições, de preferência com um bom charuto.


9º MANDAMENTO
CONQUISTARÁS AMIGOS E MULHERES
Para impressionar, diga que cachaça envelhecida
guardada no freezer ganha a viscosidade de um
licor, e substitui até um bom brandy.


10º MANDAMENTO
DEGUSTARÁS, MAS NÃO SE TORNARÁS UM CACHACEIRO
As provas de cada cachaça devem ser pequenas.
Mesmo. Mas não se cospe depois- seria pedir
demais. Tenha sempre água, pão ou bolinho para
consumir entre as provas, para limpar a boca

Os jurados
MARCELO CÂMARA
Degustador profissional e autor do livro Cachaça - Prazer Brasileiro
JOÃO BOSCO FARIA
Doutor e pesquisador em química de destilados pela Unesp e Unicamp
ERWIN WEIMANN
Químico e mestre-cervejeiro, autor do livro Cachaça: a Bebida Brasileira
MARIA JOSÉ MIRANDA
Diretora da Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe), que coordena o Programa Brasileiro de Desenvolvimento da Aguardente de Cana, Cachaça ou Caninha
PAULO MAGOULAS
Jornalista, publicitário e presidente da Academia Brasileira da Cachaça
CLÁUDIA FERNANDES
Cachaciére e presidente da Confraria do Copo Furado
MAURÍCIO MAIA
Presta assessoria e consultoria especializada para cachaçarias
RONALDO RIBEIRO
Repórter da revista National Geographic, autor de reportagens sobre Anísio Santiago
CELSO NOGUEIRA
Especialista em destilados e palestrante sobre harmonização de cachaça e charutos
MARCO ANTÔNIO MARIANO
Comanda a cachaçaria paulistana Consulado da Cachaça
SÉRGIO ARNO
Dono da Universidade da Cachaça (SP) e colecionador com mais de 1.600 garrafas
MOACYR LUZ
Músico apaixonado por cachaça
MARION BRASIL
Cachaciére carioca responsável pela carta de diversas cachaçarias do Rio de Janeiro
ONDE COMPRAR: Cachaça & Cia.: www.cachaca.com.br; Cia do Whisky: Tel.(11)5055-6000; Cachaçaria Paraty: Tel.(24)3371-1054; Cachaças do Nordeste: www.cachacasdonordeste.com.br; Grife da Cachaça: www.grifedacachaça.com.br

Fonte:
Playboy – abril de 2007.
http://playboy.abril.uol.com.br/revista/edicoes/383/aberto/reportagens/conteudo_229963.shtml#top














terça-feira, 22 de junho de 2010

SABER NUNCA É DEMAIS!







CURIOSIDADES EM MIÚDOS

Em média, os americanos consomem 72.800 metros quadrados de pizza por dia (uma área de 270 mt x 270 mt).
Os destros vivem em média 9 anos a mais do que os canhotos.
- 128,6 ºC - Foi a mais baixa temperatura alguma vez registrada, em 21 julho de 1983 na Antártica.

O coração bombeia o sangue com uma pressão suficiente para esguichar o sangue a uma altura de 9 metros.
Se gritares durante 8 anos, 7 meses e 6 dias, a energia libertada é igual à necessária para aquecer uma chávena de café.
Apenas uma pessoa em cada 2 bilhões viverá mais de 116 anos.
O transatlântico Rainha Elizabeth II avança apenas 4 cm para cada litro de gasóleo queimado.
13 segundos. O recorde de tempo de vôo de uma galinha.
O Papa mais jovem foi João XII e tinha 18 anos.
28% da África é selvagem e não explorada.
38% dos EUA é selvagem e não explorado.
A American Airlines economizou € 40.000,00 em 1987 eliminando uma azeitona de cada salada servida na primeira classe.
0% - A percentagem da população mundial que visitou o planeta Marte.
Em média há 3 telefones por cada 100 pessoas no mundo.
O orgasmo do porco dura 30 minutos.
As unhas da mão crescem aproximadamente 4 vezes mais rápido que as do pé.
Mais de 1000 pássaros morrem por ano esmagados nas janelas dos Estados Unidos.
Durante a tua vida, irás comer aproximadamente o peso de 6 elefantes.
O teu coração bate mais de 100.000 vezes por dia!
Irás comer aproximadamente 35.000 biscoitos em toda a tua vida.
O crânio tem 29 ossos.
Uma asa de mosquito move-se 1.000 vezes por segundo.
98% dos japoneses são cremados.
A cada ano, 98% dos átomos do nosso corpo são substituídos.
É possível ver 500.000 crateras na Lua olhando-se da Terra.
Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.
10.000 novos produtos químicos são criados por dia.
16% das mulheres nascem loiras. 33% das mulheres são loiras.
Há mais de 2400 espécies de pulgas conhecidas.
Os Americanos consomem 16.000 toneladas de aspirina por ano.
Uma mulher chamada Mum-Zi já era avó com 17 anos. Ela teve a sua filha aos 8 anos e 4 meses, e a sua filha, por sua vez, também se tornou mãe aos 8 anos!
Se as doenças do coração, o cancro e os diabetes fossem erradicados, a expectativa de vida do homem seria de 99,2 anos.
7% dos americanos acredita que Elvis está vivo. 25% dos americanos acha que Sherlock Holmes existiu. 25% também acreditam em fantasmas, e 10% dizem ter visto um.
Antes da II Guerra Mundial, a lista telefônica de Nova York tinha 22 Hitlers. Depois dela, não tinha mais nenhum.
15% das mulheres americanas mandam flores para si mesmas no dia dos namorados.
As moscas domésticas vivem apenas 2 semanas.
Os CDs foram concebidos para comportar 74 minutos de música porque essa é a duração da Nona Sinfonia de Beethoven.
Uma pessoa pisca os olhos aproximadamente 25 mil vezes por dia.
Neste exato momento há mais de 100.000.000 de microorganismos alimentando-se, reproduzindo-se, nadando e depositando detritos na área em volta dos teus lábios.
Se todos os cachorros quentes consumidos pelos americanos em 1 ano fossem postos em fila, poderia ser feita uma "ponte" que daria 2 vezes a distância da Terra até à Lua.
Em 1995, um japonês recitou, de memória, os 42.000 primeiros dígitos do número Pi (3,141592...) em 9 horas.
Alguns leões copulam 50 vezes por dia.
A pulga salta 350 vezes a sua altura, o que equivale a uma pessoa dar um pulo de uma altura igual à largura de um campo de futebol.
A formiga levanta 50 vezes o seu peso, e puxa 30 vezes o seu próprio peso.
50,6 - Média de idades dos Rolling Stones.
5 tacadas é a esperança média de vida de uma bola de baseball na MLB.
Em 10 minutos um furacão liberta mais energia do que todas as bombas nucleares existentes todas juntas.
100 pessoas em média por ano engasgam-se até à morte com tampas de canetas.
111.111.111 x 111.111.111 = 12.345.678.987.654.321
90% dos taxistas de Nova York são imigrantes recentes.
10% das receitas da Rússia vêm da venda de Vodka.
O número médio de sementes num McDonald's Big Mac é de 178.

São necessárias 3.000 vacas para fornecer cabedal à NFL durante um ano para fabricar bolas.
31.557.600.000 segundos equivalem a um Milênio.
Os pés possuem um quarto dos nossos ossos.
Há mais de 52.6 milhões de cachorros nos Estados Unidos.
Na Casa Branca, há 13092 facas, garfos e colheres.
Um terço de todos os gelados vendidos no mundo são de baunilha.
O Sol é 330.000 vezes maior que a Terra.
7 - O número de grandes desastres ecológicos, possivelmente erupções vulcânicas, que modificaram o rumo da história da Terra ao longo dos últimos 300 milhões de anos.
3 milhões - O número estimado de pessoas que morreram em conseqüência de terremotos desde 1900.
360.000 - O número de vagas disponíveis no exército suíço, cujos profissionais são apenas 3.300.

60 milhões - O número estimado de pessoas entre os 15 e os 24 anos em todo mundo que andam à procura de trabalho, mas não o encontram.
1.500.000,00 euros - A quantidade de dinheiro que dava a cada habitante português se dividissemos a fortuna do Bill Gates.
40 milhões - O número de utilizadores do sistema de e-mail Microsoft Hotmail.

17:00 - A melhor hora do dia para fazer amor se quiser ter filhos, de acordo com um estudo realizado em Itália.
45% dos Americanos não sabem que o Sol é uma estrela.
15 vezes ao dia é o número médio de vezes que um adulto normal se ri. No entanto uma criança ri-se em média 400 vezes por dia.
1500 - Foi quando foi inventado o preservativo (feito de linho).
41 anos é a idade do peixinho de aquário que viveu mais tempo. O seu nome era Fred.
Há 336 covas numa bola de Golfe.
7 minutos é o tempo médio em que uma pessoa normal demora a adormecer.
3 segundos é o tempo que dura a memória de um peixinho dourado de aquário.
24 horas é a esperança média de vida de uma libelinha.
41 - O tamanho do primeiro pé que pisou a Lua.
1498 - Data do aparecimento da primeira escova de dentes na China. No entanto a escova era feita de pelos de porco, mas mais tarde foram substituídos por pelos de cavalo. Só em 1938 se inventaram as escovas de nylon que usamos hoje em dia.
1879 - Data da inauguração do primeiro supermercado. Os carrinhos de supermercado só apareceram em 1937.
175 dias - Era o tempo que uma pessoa a correr sem parar (9,5 Km/h) demoraria a dar uma volta à Terra. Uma volta ao redor da Terra tem 39.840 Km. Na circunferência de Júpiter, essa mesma tarefa levaria 1.935 dias ou mais de 5 anos.

12.756 Km - O diâmetro da Terra à volta do Equador. De pólo a pólo, o diâmetro é de 12.713 Km.
5.980.000.000.000.000.000.000 toneladas - O peso da Terra.
118 - O número de ilhas em que a cidade de Viena está construída.
Em meio minuto, o esvaziamento do Rio Amazonas mataria a sede de toda a população mundial
3 bilhões - O número de raios que caem na Terra anualmente. A cada segundo caem 8 raios em qualquer lugar da Terra, por dia, são mais de 8 milhões.
116 anos - Foi quanto durou a Guerra dos Cem Anos entre a França e a Inglaterra.
2.800 pizzas seriam necessárias para formar uma torre da altura da Torre de Pisa.
1,4 kg - O peso do cérebro humano. Este consome 25% do oxigênio que respiramos.
4830 km/h - A velocidade a que se espalham os cacos de um copo que se parte.
70 - O número de gotas que cabem numa chávena de chá.
9/9/99 foi o dia em que se registraram mais casamentos na Alemanha. Dizem que esta capicua trouxe felicidade e houve mesmo quem tivesse casado a 999 metros de altura e quem fizesse questão de pagar 999 marcos pelo casamento. Este foi também o dia em que o Portal das Curiosidades foi inaugurado.
Por cada sílaba que o homem fala, 72 músculos entram em movimento. Para sorrir, são utilizados 14 músculos. Para beijar, 29.
Cada soluço dura menos de 1 segundo e ocorrem com um freqüência normal e regular de 5 a 25 vezes por minuto. O livro dos recordes menciona um soluço que durou 57 anos.
Depois de rebentar, um milho de pipoca pode aumentar até 400% o seu tamanho.
A força necessária para dar três espirros consecutivos, queima exatamente o mesmo numero de calorias que um orgasmo.
Um homem têm 6 vezes mais probabilidades de ser atingido por um raio do que uma mulher.
Todos temos 300 ossos quando nascemos, mas chegamos a adultos apenas com 206.
Uma pessoa normal tem á volta de 1460 sonhos por ano.
4% da riqueza mundial é o suficiente para combater as necessidades básicas do mundo.
100 Kg - O peso de um elefante recém-nascido.
1 tonelada - A quantidade de alimentos que uma pessoa normal come durante um ano.
6469952 - O número de manchas que os artistas da Disney fizeram para desenhar os 101 dálmatas. Para isso, gastaram 3028 litros de tinta preta.
1 em 1 milhão - As hipóteses de se morrer atingido por um relâmpago.
350 pares de sapatos, 141 chapéus, 71 blusas, 95 vestidos de noite, 176 vestidos, 178 conjuntos, 54 sobretudos, 29 saias, 25 calças, 29 jaquetas e 200 bolsas - O guarda-fatos da princesa Diana em 1991.
56 Km - O comprimento da linha que um lápis inteiro consegue desenhar (ou aprox. 50 mil palavras).
10 milhões de tijolos, 6500 janelas, 73 elevadores, 381 metros de altura e 1860 degraus - O Empire State Building.
1500 é o número de visões 'bem documentadas' do Bigfoot desde 1958.
A Terra é sacudida por mais de 20.000 tremores de terra anuais, 80 vezes por dia.
O núcleo de um relâmpago mede cerca de 1,25 centímetros.
São necessárias 200.000.000 palhinhas enfileiradas para dar uma volta à Terra.
O monte Everest, a montanha mais alta do mundo, tem 8.848 metros.
Para morrer num acidente aéreo, seria preciso voar todos os dias durante 29 mil anos. Em termos de mortes ou ferimentos, os aviões são 7 vezes mais seguros do que as bicicletas e 60 vezes mais do que andar de moto sem capacete.
O esqueleto de um homem de 64 quilos pesa cerca de 11 quilos.
Falaste sem pensar? Os cientistas calcularam que a velocidade de um pensamento é de 240 km/h!
O olho humano é capaz de distinguir 10.000.000 de diferentes tonalidades.
Se dormirmos, em média, 8 horas por dia, aos 40 anos teremos dormido 13 anos.
Com uma média de 70 batidas por minuto, o coração bate 37 milhões de vezes por ano.
Se não exercitarmos o que aprendemos, esquecemos 25% em seis horas, 33% em 24 horas e 90% em seis meses.
O corpo humano é formado por 70% de água, que corresponde a metade do nosso peso. No organismo, a água transporta alimentos, resíduos e sair minerais; lubrifica tecidos e articulações; conduz glicose e oxigênio para o interior das células, e regula a temperatura.
Um adulto elimina 3 litros de água por dia, por meio da urina, suor e da respiração.
O intestino delgado mede entre 6 a 9 metros. O intestino grosso tem 1,5 metros, mas é 3 vezes mais largo.
60% das eletrocussões ocorrem ao falar ao telefone durante uma tempestade com trovões.
Na próxima hora 22.000 cheques serão debitados em contas bancárias erradas.
Numa vida, um ser humano passa, em média, 8 anos em filas de espera.
Em Saturno, os ventos são 10 vezes mais fortes do que um furacão. A sua velocidade pode chegar aos 1.770 Km/h.
No estado do Kentucky, EUA, 50% das pessoas que se casam pela primeira vez são adolescentes.
Em média, uma criança de 4 anos faz 437 perguntas por dia.
98% das pessoas sentem-se melhor depois de descarregarem o autoclismo.
56% dos lucros da venda de filmes em vídeo vem dos filmes pornográficos.
 Se somarmos os números todos de uma roleta de cassino (desde o 1 ao 36), o total é o número 666.
Mais de 11.000 pessoas por ano têm acidentes por praticar novas posições sexuais.
Há registros de 15 pessoas que morreram por terem sido esmagadas por máquinas de bebidas quando tentavam abaná-la de modo a obterem bebidas grátis.
Nenhum pedaço de papel pode ser dobrado ao meio mais de 7 vezes.
Um iceberg médio pesa cerca de 20.000.000 toneladas
A maioria dos relâmpagos tem um comprimento médio de 3 a 5 Km e têm uma corrente de 10.000 ampêres a 100 milhões de volts.
A temperatura de um relâmpago é três vezes mais quente do que a superfície do Sol.
Há mais de 100 tipos de queijo diferentes fabricados em França.
Em 1997 o governo de Hong Kong matou e incinerou 1,3 milhões de galinhas na tentativa de eliminar o vírus da gripe, que tinha morto quatro pessoas e causado o terror de uma epidemia.
Dizem as estatísticas que, neste momento, e a qualquer hora do dia, existem 61.000 pessoas a viajar de avião.
1 litro de mercúrio pesa aproximadamente 18 Kg.
Uma tonelada de papel reciclado economiza 10 mil litros de água e evita o corte de 17 árvores.
Se fossemos a conduzir um carro a uma velocidade constante de 160 Km/h, levaríamos cerca de 221.000 milhões de anos para chegar ao centro da Via Láctea.
Bater com o carro a 100km/h é igual a cair do 8º andar de um prédio.
Nos 6 mil milhões de habitantes do mundo existem: 2 mil milhões de cristãos, mil milhões de muçulmanos, 705 milhões de hindus, 303 milhões de budistas e 17 milhões de judeus. Sobram 1.975 milhões de pessoas que pertencem a religiões menores ou são ateus. O cristianismo é professado pelas várias Igrejas em que se ramificou: católica romana, ortodoxa grega, anglicana e protestante.
Uma lâmpada comum costuma durar entre 750 a 1000 horas, mas no quartel do Corpo de Bombeiros de Livermore, na Califórnia (EUA), uma lâmpada de 1901 ainda funcionava no ano de 1988. Fora fabricada com filamentos de carbono incandescente.
57% das crianças britânicas acredita que a Alemanha é o país mais aborrecido da Europa.
As medidas: polegada - era a largura do polegar de um homem. No século XVI, o rei Eduardo I, de Inglaterra, estabeleceu que a polegada correspondesse a três grãos de cevada.
Jarda - A Jarda era originalmente a medida do cinturão masculino, que recebia esse nome. No século XII, o rei Henrique I, de Inglaterra, fixou a jarda como sendo a distância entre o seu nariz e o polegar do seu braço estendido.
Pés - Antigamente, um pé correspondia a onze polegadas e meia. Hoje, a medida é de doze polegadas, o tamanho médio dos pés masculinos.
Polegada: 2,54 centímetros
Jarda: 91,44 centímetros
Pé: 30,4801 centímetros.